Escolha as suas informações

General Electric despede milhares mas CEO pode receber bónus de 38ME
Economia 31.12.2020

General Electric despede milhares mas CEO pode receber bónus de 38ME

General Electric despede milhares mas CEO pode receber bónus de 38ME

Foto: DR
Economia 31.12.2020

General Electric despede milhares mas CEO pode receber bónus de 38ME

Lusa
Lusa
O diretor executivo da General Electric (GE), Larry Culp, poderá receber um bónus de 47 milhões de dólares, apesar de o grupo estar a despedir milhares de funcionários depois de más decisões de gestão.

O bónus de 47 milhões de dólares (cerca de 38 milhões de euros), que está desde 01 de outubro de 2018 à frente do grupo, poderia chegar até aos 230 milhões de dólares (cerca de 187 milhões de euros) se o diretor executivo conseguisse atingir os objetivos financeiros da empresa, de acordo com documentos enviados à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, consultados pela France-Presse (AFP).

O responsável também recebeu quase 25 milhões de dólares (pouco mais de 20 milhões de euros) em compensações, em 2019.

Este ano, em plena crise do setor da aviação por causa da pandemia e que afetou o grupo – fabricante para as aeronaves LEAP em parceria com o grupo francês Safran –, a GE alterou, em 18 de agosto, o contrato do diretor executivo, com novos termos que eram melhores em relação ao contrato assinado em 2018.

O contrato foi estendido até 2024 com a opção adicional de mais um ano, e as metias financeiras estabelecidas inicialmente acabaram por ser reduzidas, tornando menos ambiciosa a tarefa para a qual Larry Culp tinha sido inicialmente contratado.

O bónus de 230 milhões de dólares é atingível se o diretor executivo subir para 17 dólares (cerca de 13 euros) cada ação da GE, abaixo dos 31 dólares (cerca de 25 euros) inicialmente previstos no contrato.

Com a meta traçada até 2025, Culp não terá dificuldade em atingir este valor, que poderá ser impulsionada pela eventual recuperação da economia mundial e que terá um impacto positivo também na GE.

Entretanto, o grupo – imensamente afetado pela pandemia, que obrigou à imposição de restrições ao espaço aéreo de vários países para conter a disseminação do SARS-CoV-2 – começou uma restruturação que teve maior expressão nos milhares de funcionários despedidos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.