Escolha as suas informações

G7 chega a acordo "histórico" para imposto sobre empresas digitais
Economia 2 min. 05.06.2021

G7 chega a acordo "histórico" para imposto sobre empresas digitais

G7 chega a acordo "histórico" para imposto sobre empresas digitais

Henry Nicholls/PA Wire/dpa
Economia 2 min. 05.06.2021

G7 chega a acordo "histórico" para imposto sobre empresas digitais

Redação
Redação
Os ministros das Finanças do G7 alcançaram hoje, em Londres, um acordo "histórico" em relação a um imposto digital global.

“Estou encantado por anunciar que os ministros das Finanças do G7 alcançaram hoje, após anos de discussão, um acordo histórico sobre o sistema global de impostos”, anunciou hoje o ministro das Finanças britânico, Rishi Sunak.

Em causa, está uma proposta que prevê a aplicação de um IRC de 15%, assegurando que “as empresas certas paguem os impostos certos, nos locais certos”.

O objetivo é pedir a empresas digitais como a Apple ou o Google que paguem mais. Até agora, os impostos corporativos são devidos apenas na sede da empresa, mas não nos países onde as corporações geram suas vendas. Como resultado, muitas empresas mudaram suas sedes para países com impostos corporativos mais baixos.  

Agradecendo o trabalho dos seus homólogos, Sunak reiterou que este acordo “de significância histórica” permite adequar o sistema global de impostos ao século XXI.

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, enalteceu o acordo “sem precedentes”, que vai permitir um “tremendo impulso” para o objetivo de alcançar um imposto global mínimo de 15%.

Para Yellen esta taxa vai tratar a classe média e os trabalhadoras de uma forma “justa”, impulsionar a economia e incentivar os países a competir em termos de “educação, capacitação da mão-de-obra e investigação”.

Por sua vez, o Presidente de Espanha, Pedro Sánchez, sublinhou que este acordo vai permitir “uma maior contribuição das grandes empresas mundiais”.

O governante vincou, numa publicação na rede social Twitter, que este “acordo histórico” permite avançar em direção a um sistema tributário para a era digital, tendo em vista “uma melhor distribuição da riqueza”.

Já o ministro Francês das Finanças, Bruno Le Maire, classificou o acordo alcançado pelo G7 como um “passo histórico” na luta contra a “evasão tributária”. Le Maire disse que a taxa de, pelo menos, 15% é “um ponto de partida”, acrescentando que “a luta vai continuar no G20 e na OCDE”.

Em relação ao Facebook,  Nick Clegg, vice-presidente dos Assuntos Globais e Comunicação, publicou uma mensagem na rede social Twitter, em que reconhece igualmente que o acordo hoje alcançado na capital britânica poderá representar "o pagamento de mais impostos pelo Facebook e em diferentes lugares".

Clegg frisou que o Facebook, grupo liderado por Mark Zuckerberg, "há muito" que apelava para uma reforma das regras tributárias globais e, nesse sentido, a empresa saúda "os importantes progressos alcançados no G7".

Com Lusa

  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas