Escolha as suas informações

Fruta e combustíveis mais baratos

Fruta e combustíveis mais baratos

Foto: Peter Muhly/AFP
Economia 09.01.2019

Fruta e combustíveis mais baratos

A taxa de inflação desceu em dezembro do ano passado no Luxemburgo. De acordo com os dados publicados pelo Statec, a taxa desceu de 2,3% em novembro, para 1,9% no último mês do ano. A justificar este comportamento esteve a descida dos preços dos combustíveis e dos produtos de alimentação, em especial a fruta.

O Statec explica que em dezembro o preço dos combustíveis continuou a tendência de descida já verificada um mês antes. Os automobilitas gastam menos 6,5% para encher um depósito com gasóleo e menos 6% se se tratar de um carro a gasolina.

Fora os produtos petrolíferos, os preços estagnaram. Por detrás desta estabilização identificam-se subidas e descidas que se compensam. Assim, os preços dos produtos de alimentação recuaram, sobretudo a fruta, cujo preço desceu 5,7%. No entanto, alugar um carro ficou mais caro: o preço dos do aluguer de veículos e de lugares de estacionamento aumentou 11,9%. Comprar um relógio ou móveis de interior também ficou mais caro.

O instituto de estatística luxembuurguês refere ainda o feito sazonal típico de fim de ano, ou seja, o preço das viagens. O preço dos bilhetes de avião subiu 7,9%, mas o valor das viagens marcadas por agência desceu 2,9%.

No setor dos serviços, o Statec realça a subida de 1,4% dos serviços domésticos e de 0,3% nos lares de terceira idade.


Notícias relacionadas

STATEC: Subida dos combustíveis dá gás à inflação
A inflação no Luxemburgo subiu para 2% em agosto, face aos 1,9% registados no mês anterior. A justificar este aumento está a escalada do preço do petróleo, que voltou a subir depois de manter a tendência em baixa desde fevereiro.
Luxemburgo: Novo serviço de 'car-sharing' da capital criticado por ser "poluente"
A cidade do Luxemburgo inaugurou hoje um serviço de 'car-sharing', que permite alugar automóveis à hora, mas o projecto já foi criticado por ser poluente. O CSV criticou a autarquia por recorrer a automóveis tradicionais, "em vez de carros eléctricos", como já acontece em Hesperange e em Ettelbruck, pioneira do car-sharing no país.