Escolha as suas informações

Falências estáveis em 2020. Construção foi o setor que mais empregos perdeu
Economia 18.01.2021

Falências estáveis em 2020. Construção foi o setor que mais empregos perdeu

Falências estáveis em 2020. Construção foi o setor que mais empregos perdeu

Foto: Chris Karaba/Luxemburger Wort
Economia 18.01.2021

Falências estáveis em 2020. Construção foi o setor que mais empregos perdeu

Diana ALVES
Diana ALVES
Ao contrário do que se pensava, o número de falências manteve-se estável durante o ano da pandemia. Mesmo assim, centenas de pessoas ficaram sem trabalho e o setor da construção foi aquele que mais empregos perdeu.

Segundo dados do Ministério da Justiça e do Instituto Nacional de Estatística luxemburguês (Statec), divulgados esta segunda-feira, os tribunais declararam 1.206 insolvências no ano passado, um número muito próximo dos registados em 2019 (1.239) e em 2018 (1.168).

Os encerramentos de empresas em 2020 equivaleram, assim, a uma perda de 2.032 postos de trabalho (contra 2.178 em 2019 e 2.085 em 2018), com os setores da construção (31%), serviços não financeiros (23%) e Horeca (19%) a surgirem como os mais afetados. A seguir a estes, aparecem os ramos do comércio (17%), da indústria (9%) e dos serviços financeiros (2%). 

Quanto a dados mensais, no último mês do ano passado 72 empresas abriram falência, menos até do que em novembro de 2020, quando os tribunais declararam 118 insolvências.


Luxemburgo. Estes setores continuam a recrutar
Enquanto alguns setores foram obrigadas a restringir sua atividade ou a recorrer ao desemprego parcial, outros lutam para encontrar pessoal.

Apesar dos números não darem conta de um aumento significativo das falências, o Statec diz antecipar uma subida do número de insolvências nos próximos meses.

Apesar dos números menos animadores para o setor da construção, este é ao mesmo tempo uma área onde continua a haver falta de mão-de-obra no país. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Luxemburgo regista mais de 130 falências num mês
Houve 132 empresas que não resistiram à crise em outubro, tendo sido forçadas a fechar portas definitivamente. Já o número de falências decretadas pelos tribunais de comércio do Luxemburgo ascendeu a 125 em setembro. O Grão-Ducado registou assim 257 insolvências em apenas dois meses.
Imagem de arquivo