Escolha as suas informações

Luxemburgo tem consumo efetivo por habitante mais elevado da UE
Economia 15.12.2017 Do nosso arquivo online
Eurostat

Luxemburgo tem consumo efetivo por habitante mais elevado da UE

Eurostat

Luxemburgo tem consumo efetivo por habitante mais elevado da UE

Shutterstock
Economia 15.12.2017 Do nosso arquivo online
Eurostat

Luxemburgo tem consumo efetivo por habitante mais elevado da UE

O Luxemburgo tem o consumo individual efetivo por habitante mais elevado da União Europeia (UE), segundo dados divulgados pelo Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat).

O Luxemburgo tem o consumo individual efetivo por habitante mais elevado da União Europeia (UE), segundo dados divulgados pelo Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat).

Os elementos referentes a 2016 revelam que o Grão-Ducado apresenta um consumo efetivo por habitante de 132%, bastante superior à média europeia que é de 100%.

Contudo, os dados do Eurostat mostram ainda que o consumo individual efetivo no Luxemburgo desceu três pontos percentuais face ao ano anterior.

Depois do Grão-Ducado, a Alemanha e a Áustria completam o pódio dos países com maior consumo efetivo per capita.

Com um índice de 82%, Portugal é um dos quatro Estados-membros que está entre 10 e 20% abaixo da média da União Europeia, a par da Espanha, Lituânia e Malta.

O consumo individual efetivo é um indicador de nível de bem-estar material dos agregados familiares e exprime-se em paridade do poder de compra.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O poder de compra das famílias no Luxemburgo em 2020 diminuiu ligeiramente em relação a 2019, mas mesmo assim o Grão-Ducado continua a ser o país onde as famílias têm a maior capacidade de consumo individual de bens e serviços.
O consumo individual efectivo (CIE) expresso em paridade do poder de compra variou em 2014 na União Europeia (UE) entre os 141% no Luxemburgo e os 51% na Bulgária, divulga o Eurostat.
O Luxemburgo tem o maior poder de compra da UE