Escolha as suas informações

Étienne Schneider garante que ArcelorMittal só sai de Dudelange se comprar a Ilva

Étienne Schneider garante que ArcelorMittal só sai de Dudelange se comprar a Ilva

Foto: Guy Jallay
Economia 2 min. 27.08.2018

Étienne Schneider garante que ArcelorMittal só sai de Dudelange se comprar a Ilva

Numa resposta parlamentar, o ministro da Economia lembra que uma decisão final sobre o tema foi adiada pelo governo italiano para o próximo dia 15 de setembro.

"A venda da unidade em Dudelange só se realizará caso avance a compra da Ilva pelo Grupo ArcelorMittal", assegura o ministro da Economia, Étienne Schneider, em resposta a uma questão parlamentar sobre o tema, colocada pelo deputado Laurent Mosar.

Resumindo o processo, Schneider recorda que, depois da autorização dada pela Comissão Europeia para que avançasse a compra da Ilva, desde que a ArcelorMittal se desfizesse de diversas unidades fabris, entre as quais a de Dudelange acabou por ser uma das visadas, "o Governo italiano formulou reservas e exigiu mais esforços" à gigante do aço "quer no plano social, quer em termos ambientais". Em consequência disso, "as autoridades italianas adiaram para 15 de setembro a data de validação da operação de aquisição da Ilva por parte da ArcelorMittal, inicialmente prevista para 1 de julho".

Entre os esforços pedidos por Luigi Di Maio, líder do Movimento 5 Estrelas, vice-primeiro-ministro e ministro do Desenvolvimento Económico, quer que o plano social preveja a manutenção de mais postos de trabalho. No projeto, a ArcelorMittal comprometeu-se de início a garantir 10 mil dos 13.500 postos de trabalho, valor a reduzir para 8.500 a partir de 2023.

Numa outra resposta parlamentar sobre o tema, neste caso dirigida ao deputado Gusty Graas, o ministro da Economia refere-se ainda ao inquérito que a Autoridade Nacional Anti-Corrupção Italiana (ANAC, na sigla italiana) tem em curso. "Este inquérito não se reporta a atos repreensíveis que sejam imputáveis à ArcelorMittal, mas sim a 'anomalias possíveis' no processo desenvolvido pelo anterior Governo de Itália. O inquérito não é suspensivo do processo de aquisição da Ilva pela ArcelorMittal e uma resposta deve ser apresentada proximamente pela ANAC".  

O ministro relembra que a solicitação foi aceite e, a 23 de julho último, o contrato inicial, assinado em junho de 2017, passou a incluir um aditamento e "a ArcelorMittal espera por uma resposta das autoridades italianas". Schneider aproveita ainda para sublinhar: "Estou em contacto regular com os responsáveis da ArcelorMittal para me assegurar de que os potenciais compradores vão oferecer as melhores condições de desenvolvimento para a unidade de Dudelange com o objetivo de garantir a continuidade da estrutura e a preservação do emprego. Até agora, embora sem divulgar identidades para não haver interferências no processo, a empresa confirmou a existência de vários interessados na compra".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

ArcelorMittal chega a acordo com sindicatos da Ilva
A ArcelorMittal anunciou hoje que chegou a acordo com os sindicatos da italiana Ilva. Segundo o comunicado da gigante do aço, o acordo é provisório, mas “um marco importante” na proposta de aquisição da empresa italiana.
Governo italiano pede mais esforços à ArcelorMittal
O ministro italiano do desenvolvimento económico, Luigi Di Maio, pediu à ArcelorMittal um esforço para manter mais postos de trabalho na Ilva. Em causa está o plano social previsto pela gigante do aço que não é considerado "satisfatório".
ArcelorMittal quer vender unidade de Dudelange
A gigante do aço ArcelorMittal está disponível para se desfazer de alguns ativos, entre os quais a unidade de Dudelange. Tudo para que a Comissão Europeia dê luz verde à compra do grupo italiano Ilva. O ministro da Economia, Étienne Schneider, já disse estar contra esta cedência.