Escolha as suas informações

Estudo: Luxemburgo tem maior percentagem de trabalhadores qualificados do mundo

Estudo: Luxemburgo tem maior percentagem de trabalhadores qualificados do mundo

Foto: Shutterstock
Economia 28.10.2015

Estudo: Luxemburgo tem maior percentagem de trabalhadores qualificados do mundo

O Luxemburgo tem a maior percentagem de trabalhadores qualificados do mundo, segundo um relatório do Fórum Económico Mundial. No Grão-Ducado, quase 60% da mão-de-obra é considerada altamente qualificada.

O Luxemburgo tem a maior percentagem de trabalhadores qualificados do mundo, segundo um relatório do Fórum Económico Mundial. No Grão-Ducado, quase 60% da mão-de-obra é considerada altamente qualificada.

O estudo, que analisou 124 países, coloca o Grão-Ducado em primeiro lugar, com quase 60% de trabalhadores com elevada qualificação. Em segundo lugar vêm Singapura (55%), seguida da Suíça (51,3%), Israel (49,7%) e Islândia (49,2%).

Em comunicado, o primeiro-ministro luxemburguês congratulou-se com os resultados, defendendo que o "talento humano" é "o bem mais precioso" do país. "São as qualificações das pessoas que trabalham no Luxemburgo que contribuem para o poder de atracção e competitividade internacional do Grão-Ducado", disse Xavier Bettel. 

Na nota, o primeiro-ministro indica que o Governo vai adaptar a oferta de formação às necessidades da economia luxemburguesa, destacando às áreas das novas tecnologias, integradas no plano Luxembourg Digital Initiative.

No Luxemburgo, o sector privado recruta a esmagadora maioria dos trabalhadores no estrangeiro. Cerca de 77% dos estrangeiros trabalha no privado, um sector em que os luxemburgueses estão em menor número, rondando os 51%, segundo dados do Statec. Quase metade dos luxemburgueses trabalha no sector público. 


Notícias relacionadas

EDITORIAL: A fatura dos imigrantes
“Mais de metade do eleitorado trabnão mudar, vão ser sempre os mesmos a pagar a fatura.” alha na Função Pública. São estes que escolhem quem governa o país e enquanto isto não mudar, vão ser sempre os mesmos a pagar a fatura.”