Escolha as suas informações

Estudo da Creditreform: Luxemburgo regista recuo do número de falências em 2014
Economia 03.01.2015 Do nosso arquivo online

Estudo da Creditreform: Luxemburgo regista recuo do número de falências em 2014

O recuo do número de falências deixa prognosticar que a economia luxemburguesa está a recuperar

Estudo da Creditreform: Luxemburgo regista recuo do número de falências em 2014

O recuo do número de falências deixa prognosticar que a economia luxemburguesa está a recuperar
Foto: Tania Feller
Economia 03.01.2015 Do nosso arquivo online

Estudo da Creditreform: Luxemburgo regista recuo do número de falências em 2014

No ano passado registaram-se 845 falências de empresas, um recuo de 16,83% relativamente a 2013, ano em que foram declaradas no Luxemburgo 1.016 insolvências empresariais.

Segundo esta análise apresentada pela Creditreform, é no sector da construção civil que o recuo de falências foi maior. Neste sector houve "70 falências 'apenas', quando em 2013 tinham sido 99", explica Herbert Eberhard, administrador-delegado da Creditreform Luxembourg.

O sector do comércio conheceu também menos falências, com 289 falências em 2014, quando em um ano antes tinham sido 350 (- 17,43%).

O fecho mais importante no sector da construção foi o da Thermolux, fundada em 1992, com um volume de negócios de 9 milhões de euros, e que enviou para o desemprego 60 pessoas. No sector do comércio, o "desaparecimento" mais grave foi o dos "Ateliers Electriques" de Walferdange, que tinham um volume de negócios de 8 milhões de euros, e deixaram igualmente 60 trabalhadores no desemprego.

Segundo o estudo, todos os sectores de actividade registaram menos falências em 2014, excepto o da produção, onde as insolvências aumentaram nesse mesmo período. Este sector continua, apesar disso, a ser aquele onde se registam menos falências, representando 1,89% do total (ou seja, o fecho de três empresas).

O número de empresas com mais de cinco anos de existência que abriram falência também recuou ligeiramente, de 70,3 para 63,31%. Nas companhias com menos de cinco anos, o número de falências cresceu, de 302 para 310.


Notícias relacionadas

Em 2015: Falências aumentaram no Luxemburgo
O número tinha sido avançado em Janeiro pela instituição alemã Creditreform mas, só agora, foi oficialmente confirmado pela Secretária de Estado da Economia, Francine Closener. No ano passado, 873 empresas declararam falência no Luxemburgo, um aumento de 3,3% face a 2014.