Escolha as suas informações

Estados Unidos acusam China de manipulação cambial
Economia 06.08.2019

Estados Unidos acusam China de manipulação cambial

Estados Unidos acusam China de manipulação cambial

Foto: AFP
Economia 06.08.2019

Estados Unidos acusam China de manipulação cambial

A acusação de “manipulador cambial” pode implicar sanções financeiras para a China. No entanto, o Banco Popular da China já respondeu, afirmando que a desvalorização da moeda não foi consequência de manipulação, mas da ação dos mercados.

Os Estados Unidos acusaram a China de manipulação cambial. A acusação foi feita depois de ontem o yuan ter desvalorizado, e de se ter quebrado uma importante barreira psicológica de sete yuan para um dólar. A moeda chinesa atingiu o valor mais baixo desde maio de 2008.

A possibilidade de uma nova guerra entre as duas maiores potências mundiais – além da comercial a cambial – provocou uma tempestade nos mercados financeiros em todo o mundo.

Na sequência daquela ação, o secretário de Estado do Tesouro, Steve Mnuchin, emitiu um comunicado onde afirma que a China manipulou a sua moeda e adianta que vai discutir com o Fundo Monetário Internacional uma forma de eliminar a concorrência desleal criada pelas mais recentes decisões chinesas.

A acusação de “manipulador cambial” pode implicar sanções financeiras para a China. A última vez que os Estados Unidos o fizeram foi em 1994. No entanto, o Banco Popular da China já respondeu, afirmando que a desvalorização da moeda não foi consequência de manipulação, mas da ação dos mercados.

A desvalorização da moeda chinesa surgiu como forma de retaliação à imposição de novas tarifas pelos Estados Unidos às importações chinesas a partir de 1 de setembro, no valor de 270 mil milhões de euros. A depreciação torna as exportações chinesas para os Estados Unidos mais competitivas, ao torná-las mais baratas, compensando parte do agravamento das tarifas impostas pelos Estados Unidos. Pelo contrário, as exportações norte-americanas para a China ficam mais caras.

Esta manhã, a China recuou e tomou medidas para que a moeda chinesa voltasse a ultrapassar a barreira dos sete yuan por dólar.

Aquela não foi a única ação por parte da China: a segunda maior economia mundial colocou um travão nas importações agrícolas vindas dos Estados Unidos.

P.C.S. com agências


Notícias relacionadas

EUA e China lançam guerra para o domínio do mundo
A escalada de Donald Trump ameaçando taxar os produtos vindos da China em 25% esconde um conflito mais fundo: trata-se do domínio das novas tecnologias do futuro e de uma tentativa de impedir que a mais populosa nação do planeta se torne a primeira potência económica e mesmo militar da Terra. Contacto pediu a opinião aos economistas Francisco Louçã e Nuno Teles sobre as consequências que se preveem na economia mundial.