Escolha as suas informações

Empresas. Governo prolonga empréstimos com garantia do Estado até julho de 2021
Economia 2 min. 22.12.2020

Empresas. Governo prolonga empréstimos com garantia do Estado até julho de 2021

Empresas. Governo prolonga empréstimos com garantia do Estado até julho de 2021

Foto: Pierre Matgé
Economia 2 min. 22.12.2020

Empresas. Governo prolonga empréstimos com garantia do Estado até julho de 2021

Ao abrigo deste regime, que começou em abril e que é agora prolongado, foi disponibilizado um montante total de 2,5 mil milhões de euros às empresas, através de empréstimos bancários.

O Governo anunciou, esta segunda-feira, 21 de dezembro, que chegou a acordo com os bancos para prolongar os empréstimos à economia, no âmbito das ajudas no contexto de crise da pandemia.

Em comunicado, o ministro das Finanças, Pierre Gramegna, anunciou que os representantes da ABBL e do BCEE, BIL, BGL BNP Paribas, Banque de Luxembourg, Raiffeisen, ING, Bank of China e Banque BCP acordaram prorrogar até 30 de junho de 2021 o esquema de empréstimos à economia luxemburguesa  com garantia do Estado. 

Ao abrigo deste regime, que começou em abril e que é agora prolongado, foi disponibilizado um montante total de 2,5 mil milhões de euros às empresas, através de empréstimos bancários.


“Efeitos da crise na economia luxemburguesa poderão prolongar-se até 2022”
A crise económica ligada à covid-19 poderá não desaparecer tão cedo. Segundo as estimativas da Câmara do Comércio, os efeitos negativos de toda a situação poderão arrastar-se até 2022 nos setores particularmente atingidos.

Segundo o Governo, as empresas, independentemente da sua dimensão, podem pedir empréstimos que representem até 25% do seu volume de negócios e beneficiar de uma garantia pública que pode ir até 85%. 

"São elegíveis os empréstimos concedidos pelos bancos a grandes empresas, PMEs e trabalhadores independentes, incluindo jovens empresas inovadoras", refere o comunicado.

Este regime de apoios bancários às empresas com garantia estatal, que foi aprovado em abril, saldou-se, até 11 de dezembro de 2020, na atribuição de cerca de 170 milhões de euros a mais de 300 empresas, de acordo com os dados do Ministério das Finanças. Por outro lado, o montante de empréstimos sem garantia estatal concedidos atingiu um valor de cerce de 260 milhões de euros.

"Nesta crise, os bancos são parte da solução. Nos últimos meses, as moratórias concedidas pelos bancos têm, entre outras coisas, trazido uma lufada de ar fresco às empresas", defendeu  Pierre Gramegna.


Empréstimos aumentaram apenas 2% entre março e julho
Os novos empréstimos bancários às famílias e empresas não financeiras luxemburguesas aumentaram 1,3 mil milhões de euros, entre o mês de março e o mês de julho deste ano, traduzindo-se numa subida de 2%.

O ministro sublinhou que além de outras medidas de apoio aplicadas pelo Governo, "os empréstimos covid-19 com garantia do Estado forneceram a liquidez necessária para financiar a recuperação". 

"Com a moratória a expirar a 31 de dezembro de 2020, a prorrogação do regime de empréstimo assegurará uma transição suave e ajudará a mobilizar o investimento necessário para construir para o futuro", afirmou. 

Do lado do setor financeiro, Guy Hoffmann, Presidente da ABBL, defendeu que "a extensão do programa de garantia estatal reflete o empenho contínuo do sector bancário no empreendedorismo e comércio do Luxemburgo". 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Covid-19. Governo aprova pacote de 8,8 mil milhões de euros
A proposta apresentada equivale a 14% do Produto Interno Bruto (PIB), indicou esta quarta-feira, o ministro das Finanças, Pierre Gramegna, acrescentando que o principal desafio é resolver problemas de liquidez e de tesouraria e evitar falências e desemprego.