Escolha as suas informações

Emprego na construção civil foi um dos que mais caiu em 2022 no Luxemburgo
Economia 24.01.2023
Statec

Emprego na construção civil foi um dos que mais caiu em 2022 no Luxemburgo

Statec

Emprego na construção civil foi um dos que mais caiu em 2022 no Luxemburgo

Foto: Guy Wolff
Economia 24.01.2023
Statec

Emprego na construção civil foi um dos que mais caiu em 2022 no Luxemburgo

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
"No quarto trimestre, o emprego reportado à ADEM no setor da construção civil continuou a diminuir", sublinha o Statec na sua análise, não antevendo perspetivas animadoras para o setor.

O ano de 2022 terminou com um crescimento trimestral do emprego de +0,8% no Luxemburgo. Esta subida, que reflete um aumento face ao trimestre anterior, quando o emprego cresceu +0,7%, não foi uniforme em todos os setores de atividade. 

Os setores do comércio, transportes, mas também da construção e hotelaria foram os que criaram mais empregos no final do ano. No entanto, segundo aponta o Statec no seu flash de conjuntura publicado esta segunda-feira, a construção é um dos setores onde o emprego mais desacelerou em 2022. "O emprego na construção civil cresceu apenas 2,5% durante o ano (+2,0% no quarto trimestre), após um aumento de 3,7% em 2021", explica o organismo estatístico. 


Aumento do preço das casas está a abrandar no Luxemburgo
Segundo o Statec, há sinais de abrandamento na subida dos preços das habitações, sobretudo das mais antigas.

Nos inquéritos feitos a empresas do setor, refere o Statec, os empreiteiros têm vindo a relatar uma deterioração contínua no volume de empreitadas, desde março de 2022, tendo um quarto deles considerado que a procura foi insuficiente no final do ano, o que se refletiu numa desaceleração das contratações na construção.

"No quarto trimestre, o emprego reportado à ADEM no setor da construção civil continuou a diminuir", sublinha o instituto de estatísticas na sua análise.

No início deste mês, a responsável pela ADEM confirmava, em entrevista à rádio  100.7, que alguns setores estavam a contratar menos trabalhadores que no passado, dando a construção civil como exemplo.


Setor da construção civil em dificuldades
O setor da construção é um dos setores mais afetados pela crise, porque há cada vez menos contratos assinados, tanto trabalhadores como com entidades estatais.

Isabelle Schlesser apontou, na altura, a elevada inflação e a escassez de matérias-primas como as principais razões para este decréscimo nas vagas de emprego no setor, em linha com análise que o Statec faz no seu flash de conjuntura.  

Segundo o organismo, os números da produção da construção confirmam este "clima menos favorável, com uma queda de 8,1% durante o mês de outubro no Grão-Ducado, o declínio mais pronunciado na UE".


O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas