Escolha as suas informações

Economia europeia abranda e Alemanha contrai
Economia 14.08.2019

Economia europeia abranda e Alemanha contrai

Economia europeia abranda e Alemanha contrai

Foto: AFP
Economia 14.08.2019

Economia europeia abranda e Alemanha contrai

A Alemanha contraiu 0,1%, cenário que era antecipado pelos analistas.

A economia europeia abrandou no segundo trimestre face aos primeiros três meses do ano, com a economia alemã – a maior da União Europeia (UE) - a contrair.

De acordo com dados do Eurostat, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,2% tanto na UE como na zona euro. No trimestre anterior, o crescimento tinha sido de 0,5% e de 0,4%, respetivamente.

Já a Alemanha contraiu 0,1%, cenário que era antecipado pelos analistas. Os sinais de abrandamento na maior economia da UE já se faziam sentir: a produção industrial teve a maior queda em dez anos, a confiança dos investidores e o mercado laboral estão a abrandar.

No entanto, em termos homólogos, o PIB alemão cresceu 0,4%. O valor fica abaixo da média europeia: a economia cresceu 1,1% na zona euro e 1,3% na União Europeia no segundo trimestre do ano, em termos homólogos.

De acordo com a estimativa rápida hoje publicada pelo gabinete oficial de estatísticas da UE, o PIB europeu manteve assim sensivelmente o mesmo ritmo de crescimento verificado no trimestre anterior, já que entre janeiro e março progredira 1,2% na zona euro e 1,6% no conjunto da União na comparação face ao primeiro trimestre de 2018.

Os dados disponibilizados por Estados-membros revelam que a economia portuguesa subiu acima da média europeia no segundo trimestre – 1,8% na comparação homóloga e 0,5% face ao trimestre anterior.

No mesmo boletim hoje publicado, o Eurostat estima ainda que o emprego tenha igualmente mantido o ritmo de crescimento do primeiro trimestre, tanto em termos homólogos como na comparação em cadeia.

Segundo a estimativa do Eurostat, na comparação com o segundo trimestre de 2018, o emprego progrediu 1,1% na zona euro e 1% no conjunto da União a 28 (após subidas homólogas de 1,3% e 1,2% no trimestre anterior), enquanto na comparação com os primeiros três meses do ano, o emprego registou uma subida ligeira de 0,2% entre abril e junho, tanto no espaço da moeda única como em toda a UE (após ter progredido 0,4% em ambos os casos no primeiro trimestre face aos últimos três meses do ano passado).

Contacto com Lusa


Notícias relacionadas