Escolha as suas informações

Echternach. Oposição não quer cidade transformada num "outlet"
Economia 2 min. 16.11.2022
Comércio

Echternach. Oposição não quer cidade transformada num "outlet"

Comércio

Echternach. Oposição não quer cidade transformada num "outlet"

Foto de arquivo: Marc Wilwert/Luxemburger Wort
Economia 2 min. 16.11.2022
Comércio

Echternach. Oposição não quer cidade transformada num "outlet"

Irina FIGUT
Irina FIGUT
A autarquia está a ser criticada pelo projeto "City Shopping", cujo conceito consiste em arrendar espaços no centro histórico a grandes marcas.

A última sessão do conselho comunal de Echternach ficou marcada pela chuva de críticas ao "City Shopping", projeto que está a ser discutido há seis anos e que pretende contrariar a crescente falta de espaços comerciais na cidade. 

Para isso, a coligação CSV-LSAP, ao leme do município, quer arrendar as lojas vazias do centro da cidade a grandes marcas, como forma de atrair mais clientes a Echternach, aumentar a diversidade da oferta e, em última instância, prevenir o encerramento dos espaços comerciais. 

O conceito é inspirado no modelo implementado em Bad Münstereifel, na Alemanha. A sua transposição à realidade local deverá ser orientada por uma empresa de gestão comercial, a ser fundada antes do projeto avançar.

Mas nem todos mostram entusiasmo face ao "City Shopping". É o caso da conselheira ecologista Carole Zeimetz, que acusa a coligação de falta de transparência e acusa o colégio de vereadores de "recorrer a chantagem" e de tomar decisões nos bastidores. "É a primeira vez, em todos estes anos que se conhece o projeto, que o conselho comunal teve a oportunidade de votá-lo e que pudemos comentá-lo publicamente", atirou.


O vereador Ricardo Marques é um dos anfitriões do encontro de boas-vindas aos novos residentes de Echternach.
É um novo residente de Echternach? A cidade dá-lhe as boas-vindas este sábado
Habitantes, instituições e associações reúnem-se no Trifolion, dia 19, para acolher os recém-chegados e dar-lhes a conhecer a cidade e suas gentes, como explica o vereador Ricardo Marques.

UCA receia perda de autenticidade dos pequenos negócios

Carole Zeimetz foi mais longe e disse mesmo que "não estava nos planos que a oposição desse feedback sobre o assunto". "Nas duas únicas sessões de trabalho que tivemos sobre isto, só nos apresentaram a versão final do projeto". A conselheira comunal sublinhou que o déi gréng é contra a transformação da cidade num "outlet". 

A votação do acordo de princípio para o "City Shopping" contou com quatro abstenções do déi gréng e sete votos a favor dos restantes conselheiros, tendo sido aprovada por maioria. O burgomestre Yves Wengler (CSV) considera que Echternach é uma cidade de turismo e negócios, e assim deve continuar, contando com a contribuição do novo conceito comercial.

Questionada pelo Luxemburger Wort, a União Comercial e Artesanal (UCA), associação de comércio da cidade, admitiu não ser contra o combate às lojas vazias de Echternach. Contudo, receia que, com o conceito de "outlet", o charme, a autenticidade e a personalização do atendimento dos pequenos negócios, seja perdido.  "Não há disso nos grandes centros comerciais", justificou Silke Müller, vice-presidente da UCA.

Se tudo correr como planeado, o conceito poderá estar materializado na primavera de 2024. Até ao momento, a autarquia investiu 1,2 milhões de euros no projeto.

(Este artigo foi originalmente publicado no Luxemburger Wort e adaptado para o Contacto por Maria Monteiro.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas