Escolha as suas informações

Diretores trabalham mais vezes a partir de casa
Economia 03.08.2018

Diretores trabalham mais vezes a partir de casa

Diretores trabalham mais vezes a partir de casa

Foto: Getty Images/Caiaimage
Economia 03.08.2018

Diretores trabalham mais vezes a partir de casa

Cerca de 21% dos trabalhadores assalariados trabalham a partir de sua casa no Luxemburgo. E quem é que o faz com maior frequência? Os diretores, gerentes e trabalhadores de profissões científico-intelectuais.

Cerca de 21% dos trabalhadores assalariados trabalham a partir de sua casa no Luxemburgo. E quem é que o faz com maior frequência? Os diretores, gerentes e trabalhadores de profissões científico-intelectuais.

A conclusão é de um estudo da Câmara dos Assalariados que analisa o trabalho feito em casa pelos trabalhadores do Luxemburgo. O estudo contempla o trabalho contratualizado feito a partir de casa, mas também os casos em que os trabalhadores se vêem obrigados a fazer horas suplementares não remuneradas a partir de casa.

A conclusão é a de que esta não é uma prática transversal. Assim, são aqueles que têm uma posição hierárquica superior que trabalham mais vezes a partir do seu domicílio. Por outro lado, estes casos são mais frequentes de encontrar entre trabalhadores com contratos por tempo indeterminado do que em contratos com uma duração limitada.

A frequência com que se fazem horas suplementares em casa depende também do tipo de empresa: é mais raro encontrar este comportamento no setor privado e mais frequente na administração pública e nos organismos europeus e internacionais.

Fazendo uma comparação com outros países da União Europeia (UE), os trabalhadores dos países nórdicos (como a Dinamarca, Suécia ou Finlândia) são os que declaram trabalhar em casa todos os dias ou frequentemente. O Grão-Ducado fica na média europeia e são os trabalhadores do sul da Europa (Grécia, Espanha e Portugal) que menos trabalham a partir do seu domicílio.

O trabalho a partir de casa pode permitir um maior equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal e um grau de satisfação maior com a vida laboral. Além disso, reduz as filas de trânsito e a poluição. No entanto, tem também associadas algumas desvantagens como o isolamento social e prejudica a transferência de conhecimentos entre profissionais.


Notícias relacionadas

9% dos trabalhadores têm contrato a termo no Luxemburgo
No Luxemburgo, 9% dos trabalhadores entre os 15 e os 64 anos tinham um contrato a termo certo no ano passado. Esta é a décima taxa mais baixa entre os países da União Europeia (UE) e fica muito abaixo da média, que é de 14,3%.