Escolha as suas informações

Desconto no preço dos combustíveis prolongado até setembro? CSV exige que sim
Economia 29.06.2022
Crise energética

Desconto no preço dos combustíveis prolongado até setembro? CSV exige que sim

Crise energética

Desconto no preço dos combustíveis prolongado até setembro? CSV exige que sim

Jens Büttner/dpa-Zentralbild/dp
Economia 29.06.2022
Crise energética

Desconto no preço dos combustíveis prolongado até setembro? CSV exige que sim

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
O desconto na bomba de 7,5 cêntimos de euro por litro expira a 31 de julho. O partido da oposição propõe um plano de três pontos para ajudar as famílias do Luxemburgo.

"As pessoas precisam de ajuda financeira e precisam agora", disse Gilles Roth, deputado do Partido Cristão Social (CSV), na Câmara dos Deputados, numa sessão onde se discutiram mais medidas para auxiliar as famílias face ao aumento dos preços dos combustíveis. 

"Achamos que há muitas pessoas que já não conseguem fazer a gestão financeira. Os luxemburgueses são contidos, não vão logo para as ruas protestar. Especialmente os afetados, que estão sob stress, mas cada vez mais, isso também se aplica para a ampla classe média. Os tempos de espera acabaram!", disse o deputado do maior partido da oposição. 

O CSV fez três sugestões. A primeira delas é a prorrogação e possível aumento do desconto na bomba de 7,5 cêntimos de euro por litro até 30 de setembro. Este desconto expira a 31 de julho e o Governo não tem planos para o prolongar.    

As outras duas medidas passam por reduzir os impostos de consumo sobre combustíveis e custos de aquecimento ao mínimo da União Europeia, até ao final deste ano, e duplicar o valor máximo de referência para o subsídio de energia, aumentando o número de pessoas que poderiam beneficiar deste auxílio.   

As famílias que recebem o subsídio de vida cara (AVC) vão receber automaticamente o subsídio de energia. Esta será uma tranche única de um mínimo de 200 euros e até 400 euros, dependendo da composição do agregado familiar. Os outros agregados terão de fazer o pedido até 30 de setembro, "o mais tardar".

O deputado François Benoy (Dei Greng) destacou que o subsídio de energia não está a ser usado por todas as pessoas com direito a aceder. No caso, apenas 4% das 10 mil pessoas que se qualificam solicitaram até agora.  

O CSV pediu uma reação da ministra das Finanças, Yuriko Backes, às propostas apresentadas mas esta lembrou que "não decidiremos aqui esta tarde, mas estamos a dialogar e vamos tomar as decisões tão rápido quanto necessário."


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas