Escolha as suas informações

Deputados a favor de medidas de apoio a famílias afetadas pelo aumento dos preços da energia
Economia 04.03.2022 Do nosso arquivo online
Energia

Deputados a favor de medidas de apoio a famílias afetadas pelo aumento dos preços da energia

Energia

Deputados a favor de medidas de apoio a famílias afetadas pelo aumento dos preços da energia

Patrick Pleul/dpa-Zentralbild/dp
Economia 04.03.2022 Do nosso arquivo online
Energia

Deputados a favor de medidas de apoio a famílias afetadas pelo aumento dos preços da energia

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O Estado vai desembolsar 75 milhões de euros para apoiar as famílias afetadas pelo aumento do preço da energia.

As diferentes medidas anunciadas pelo Governo para atenuar o impacto do aumento dos preços da energia para os agregados familiares têm o apoio da maioria dos deputados do Luxemburgo, embora alguns estejam a favor de outras medidas excecionais. Os ministros da Família, Economia e Energia estiveram em comissão parlamentar para dar explicações sobre as medidas.

No total, o Estado vai desembolsar 75 milhões de euros para apoiar as famílias afetadas pelo aumento do preço da energia. Foi avançado também que 12 milhões de euros vão ser atribuídos para estabilizar o preço da eletricidade, através de um aumento da participação do Estado, ou seja, o mecanismo de compensação.

Outros 45 milhões de euros estão destinados aos encargos temporários por parte do Estado para as despesas ligadas às redes de gás. O resto do montante é para financiar um subsídio único, que vai de 200 a 400 euros para os agregados familiares. Os deputados saudaram o facto de esse subsídio não ser apenas destinado a famílias que beneficiam do subsídio de vida cara. 

De facto, o patamar para receber o subsídio único foi aumentado 25% em relação ao subsídio de vida cara. Note-se que atualmente 22 mil agregados familiares recebem o subsídio de vida cara.

O ministro da Economia, Franz Fayot, sublinhou ainda que o Governo não prevê “manipular a indexação”, apesar do aumento generalizado dos preços. Atualmente está previsto haver uma indexação dos salários na primavera, e uma segunda tranche deverá ocorrer mais tarde, mas ainda este ano. 

No entanto, o ministro espera que as medidas decididas pelo Executivo possam travar o aumento dos preços.  

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas