Escolha as suas informações

Depois da Microsoft, Twitter pondera comprar TikTok
Economia 10.08.2020

Depois da Microsoft, Twitter pondera comprar TikTok

Depois da Microsoft, Twitter pondera comprar TikTok

Foto: AFP
Economia 10.08.2020

Depois da Microsoft, Twitter pondera comprar TikTok

AFP
AFP
A Microsoft já tinha manifestado o seu interesse em adquirir as operações americanas, canadianas, australianas e neozelandesas da rede social de vídeos curtos.

(CO/AFP)

Segundo o The Wall Street Journal, os donos da rede social Twitter iniciaram uma fase preliminar de discussões sobre uma eventual fusão com o TikTok. Recentemente, o presidente americano Donald Trump acusou o TikTok - detido por uma empresa chinesa - de espionagem e ameaçou mesmo probir a rede social nos EUA.

Questionada pela AFP, ambas as empresas, Twitter e Tiktok, recusaram-se a confirmar as informações publicadas no sábado à noite pelo diário financeiro, que menciona fontes próximas do caso.

A Microsoft já tinha manifestado o seu interesse em adquirir as operações americanas, canadianas, australianas e neozelandesas da rede social de vídeos curtos. De acordo com o The Wall Street Journal, o Twitter acredita há menos probabilidade de ser acusado de abuso de posição dominante do que a empresa fundada por Bill Gates, devido ao seu tamanho menor. E a plataforma de microblogging precisaria provavelmente do apoio de outros investidores para completar a compra de empresa. Além disso, e ao contrário da Microsoft, o Twitter não está disponível na China, onde o governo tem vindo a bloquear o seu acesso desde 2009. 


Governo chinês denuncia “repressão” após medidas dos EUA contra ‘apps’ chinesas
O Governo chinês acusou esta sexta-feira de "manipulação política e repressão" as autoridades dos Estados Unidos, após medidas restritivas adotadas por Washington contra as aplicações chinesas TikTok e WeChat.

O presidente dos EUA assinou na quinta-feira passada uma ordem executiva que proíbe todas as transações "por pessoas sob jurisdição dos EUA" com a ByteDance, a empresa-mãe da TikTok, no prazo de 45 dias, citando uma "emergência nacional" sobre a utilização de vídeos na plataforma. Trump afirmou ainda estar aberto a uma possível aquisição da TikTok por uma empresa americana antes de 15 de setembro, mas avisou que o serviço seria proibido em solo americano se não se realizasse nenhuma compra até lá. O presidente exigiu também que, em caso de compra, uma parte significativa do dinheiro fosse devolvida ao Tesouro norte-americano. 

Apesar de permitir a partilha de vídeos, o Twitter funciona principalmente através da publicação de mensagens de texto curtas (microblogging) e fotografias ou imagens animadas. Em 2012, a empresa adquiriu a empresa de vídeos curtos, a Vine, mas descontinuou o serviço em 2016.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

TikTok reforça batalha de comunicação contra Donald Trump
A rede social detida por uma empresa chinesa tem sido acusada de espionagem pelo presidente norte-americano que ameaça mesmo proibir a plataforma nos EUA nos próximos meses. Microsoft e Twitter estão interessados na compra das operações nos EUA.