Escolha as suas informações

Daimler quer eliminar pelo menos 10.000 empregos
Economia 29.11.2019 Do nosso arquivo online

Daimler quer eliminar pelo menos 10.000 empregos

Daimler quer eliminar pelo menos 10.000 empregos

Foto:AFP
Economia 29.11.2019 Do nosso arquivo online

Daimler quer eliminar pelo menos 10.000 empregos

O número de postos de trabalho a suprimir "será de cinco dígitos" e envolverá cargos administrativos, afirmou o diretor de pessoal da empresa, Wilfried Porth, numa conferência de imprensa telefónica, três dias após a Audi ter anunciado a eliminação de 9.500 empregos.

A Daimler, fabricante dos Mercedes-Benz, anunciou, esta sexta-feira, que vai eliminar pelo menos 10.000 empregos em todo o mundo até 2022 para financiar a transição para os veículos elétricos, uma mudança que tem pressionado o setor automóvel alemão.

O número de postos de trabalho a suprimir "será de cinco dígitos" e envolverá cargos administrativos, afirmou o diretor de pessoal da empresa, Wilfried Porth, numa conferência de imprensa telefónica, três dias após a Audi ter anunciado a eliminação de 9.500 empregos.

Recentemente, a Daimler já tinha anunciado que quer poupar 1,4 mil milhões de euros em encargos com pessoal, face aos "investimentos elevados exigidos pela transição para a mobilidade neutra em termos de emissões de CO2" (dióxido de carbono).

Parte das saídas será feita com a não substituição de trabalhadores que terminem contratos temporários ou que se reformem, mas haverá também reformas antecipadas e o grupo indicou que vai ainda propor saídas voluntárias.

A Daimler tem atualmente cerca de 304.000 funcionários em todo o mundo.

"Os detalhes sobre a aplicação deste plano" serão "indicados nas próximas semanas", acrescentou a Daimler em comunicado.

Como todo o setor automóvel europeu, a Daimler está empenhada em reduzir o nível de emissões de CO2 nos carros vendidos e respeitar as estritas normas em vigor a partir do próximo ano na União Europeia (UE), sob a ameaça de pesadas sanções.

No setor automóvel alemão, vários construtores e fabricantes de equipamentos anunciaram nos últimos meses a eliminação de perto de 30.000 empregos devido a uma degradação da conjuntura e à redução da popularidade do 'diesel' em benefício dos motores elétricos.

A Audi, que pertence ao grupo Volkswagen, quer eliminar 9.500 postos de trabalho na Alemanha até 2025, a Volkswagen quer suprimir 5.000, a Continental 5.500 e a sua rival Bosch mais de 2.000, enquanto a norte-americana Ford prevê 5.000 reduções de empregos em fábricas alemãs.

Este setor representa na Alemanha um quinto da indústria, perto de 5% do Produto Interno Bruto (PIB) e mais de 800.000 empregos diretos.


Notícias relacionadas