Escolha as suas informações

Crise da covid 'quatro vezes pior' do que a crise de 2008
Economia 2 min. 08.06.2021

Crise da covid 'quatro vezes pior' do que a crise de 2008

Crise da covid 'quatro vezes pior' do que a crise de 2008

Foto: Shutterstock
Economia 2 min. 08.06.2021

Crise da covid 'quatro vezes pior' do que a crise de 2008

Redação
Redação
Cerca de 205 milhões de pessoas vão ficar desempregadas em 2022, prevê a OIT.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) afirma que a pandemia de Covid-19 estava a ter quatro vezes mais impacto no emprego do que a crise financeira de 2008. Na abertura da reunião anual de membros da agência especializada da ONU, o seu director-geral Guy Ryder disse que a Covid-19 teve um efeito "devastador" no emprego, comparando a pandemia a um "cataclismo". 

 "A experiência de trabalho desta pandemia tem sido para alguns sinónimo de inconveniência, aborrecimento, stress e frustração. Para outros, tem significado medo, pobreza e sobrevivência", acrescentou. 

 A crise de saúde de 17 meses mergulhou mais de 100 milhões de trabalhadores na pobreza, uma situação ligada à diminuição das horas de trabalho e à evaporação de bons empregos, de acordo com um relatório recente da OIT. 

Recuperação só em 2023

O documento também mostra que se espera que cerca de 205 milhões de pessoas estejam desempregadas em 2022, bem acima dos 187 milhões em 2019. E não se espera que o emprego regresse ao seu nível de crise pré-covid até 2023. "No seu conjunto, esta é uma crise no mundo do trabalho que é quatro vezes pior do que a desencadeada pela crise financeira de 2008", disse Ryder. 

O chefe da OIT disse também que a recuperação económica seria desigual entre países com base nas tendências actuais, apontando em particular para desigualdades na distribuição de vacinas em todo o mundo e diferenças nacionais na capacidade fiscal.

Evitar prolongamento da pandemia 

Também apelou à acção para evitar que "a Covid longa" - sintomas abrangentes que afectam pessoas infectadas durante meses de cada vez - "se enraíze no mundo do trabalho, tornando-o mais desigual, mais injusto, menos resiliente, menos inclusivo e, por fim, menos sustentável". A única agência tripartida das Nações Unidas, a OIT reúne representantes do governo, dos empregadores e dos trabalhadores de 187 estados membros. Fundada em 1919, a organização teve de adiar a sua sessão anual no ano passado por causa da pandemia. A conferência deste ano foi dividida em duas partes. De 7 a 19 de Junho, mais de 4.300 delegados estão reunidos em linha para discutir a recuperação do Covid. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.