Escolha as suas informações

Covid-19. Pierre Gramegna diz que o Estado vai ajudar, mas a fatura vai ser pesada
Economia 29.03.2020

Covid-19. Pierre Gramegna diz que o Estado vai ajudar, mas a fatura vai ser pesada

Covid-19. Pierre Gramegna diz que o Estado vai ajudar, mas a fatura vai ser pesada

Economia 29.03.2020

Covid-19. Pierre Gramegna diz que o Estado vai ajudar, mas a fatura vai ser pesada

Diana ALVES
Diana ALVES
O alargamento do regime de desemprego parcial é uma das principais apostas do Executivo para ajudar os trabalhadores e evitar despedimentos

O ministro das Finanças diz que o Luxemburgo tem margem de manobra e vai ajudar os cidadãos e as empresas a fazer face à crise pandémica, mas reconhece que a fatura vai ser pesada.

Em entrevista à RTL, Pierre Gramegna referia-se ao montante histórico de 8,8 mil milhões de euros que o Governo aprovou para contornar os efeitos económicos do novo coronavírus, que já fez 18 mortes no Luxemburgo, infetou mais de 1.800 pessoas e levou milhares de empresas a recorrer ao desemprego parcial.


Covid-19. Horário de trabalho pode ser prolongado até 12 horas diárias
O primeiro-ministro, Xavier Bettel, anunciou que no setor da saúde a semana de trabalho pode ser de 60 horas.

O alargamento do regime de desemprego parcial é uma das principais apostas do Executivo para ajudar os trabalhadores e evitar despedimentos. Outras das medidas dizem respeito à licença por razões familiares, que permite a um dos pais ficar em casa com os filhos durante o período em que creches e escolas estão encerradas, e à possibilidade de as empresas cancelarem o adiantamento de impostos.

Entre as ajudas disponibilizadas e os impostos que não vão entrar nos cofres públicos nesta fase, é certo que o Estado vai perder dinheiro, mas o ministro diz não estar ainda em medida de avaliar essa perda.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas