Escolha as suas informações

Conselho Europeu encerra com acordo entre o norte e o sul
Economia 2 min. 23.04.2020

Conselho Europeu encerra com acordo entre o norte e o sul

Conselho Europeu encerra com acordo entre o norte e o sul

Foto: Eu/Etienne Ansotte/European Comm
Economia 2 min. 23.04.2020

Conselho Europeu encerra com acordo entre o norte e o sul

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
A Comissão Europeia irá, em diálogo com os países, criar um orçamento robusto de biliões para recuperar a Europa. Dentro de duas semanas deverá haver proposta concreta.

Numa reunião que durou cerca de quatro horas, os 27 chefes de Estado e de Governo concordaram em mandatar a Comissão Europeia a desenhar um Fundo de Recuperação ligado ao orçamento europeu para 2021-2027 que “deve ser de magnitude suficiente para a dimensão da crise económica”, disse Charles Michel, o presidente do Conselho Europeu, no final da reunião de hoje. “Foi um Conselho Europeu promissor”, resumiu.

“Vamos desenhar um Fundo de Recuperação que possa assegurar a integridade do Mercado Único e a prosperidade conjunta dos países”, explicou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que se manifestou satisfeita com o desenrolar da reunião feita por videoconferência entre as instituições em Bruxelas e as 27 capitais europeias.


Covid-19. Lagarde avisa líderes da UE que economia da zona euro pode recuar 15%
As declarações da líder do BCE foram feitas na cimeira dos líderes dos 27 países da União Europeia, que está a decorrer por videoconferência, e se destina a debater a resposta à crise causada pela pandemia de covid-19.

O mandato dos chefes de Estado inclui o pedido de que a Comissão Europeia apresente uma nova proposta de Quadro Financeiro Plurianual (QFP) para 2021-27 mais robusta e “claramente em ligação direta” com o Fundo de Recuperação. O valor global não está definido, mas deverá ser da ordem dos biliões, assegurou von der Leyen.

O desenho do QFF e do Fundo de Recuperação será feito “recebendo as propostas dos vários países”, disse von der Leyen, explicando aos jornalistas que a Comissão e os chefes de Estado têm estado em conversas constantes sobre as soluções económicas e financeiras para uma recuperação da crise no médio e longo prazo.

Os montantes do Fundo de Recuperação deverão ser obtidos através de uma mistura de subsídios e empréstimos, mas disse von der Leyen, esse balanço “vai ser discutido nos próximos dias”. Há a proposta igualmente de subir o teto de ajuda aos países para 2% do seu Produto Interno Bruto, nesta nova versão do QFP. E von der Leyen sublinhou que o grosso da ajuda aos Estados-membros deve ser feita nos primeiros anos de vigência do orçamento 2021-27.

Vontade política de criar compromissos

“Este esforço é para proteger a integridade do mercado único e da nossa união e se bem sucedido valeu cada um dos euros”, salientou a alemã que preside ao executivo europeu. E será um esforço, disse ainda, para “guiar as economias europeias para uma transição ecológica e digital”.

Quanto a dificuldades anteriores de chegar a consensos, sobretudo pela grande cisão norte-sul que marcou as reuniões anteriores, von der Leyen disse estar “mesmo otimista, porque mesmo que haja sensibilidades diferentes, sinto que há uma forte vontade política de criar compromissos”.

O processo de construção de um novo QFP, em ligação com o Fundo de Recuperação, vai ser feito de “forma colegial e muito inclusiva”, com os Estados-membros, disse Ursula von der Leyen, e deverá estar pronto até meados de maio.


Covid-19. Desta vez é que o Conselho Europeu decide alguma coisa?
Países do norte e sul mais próximos para criar um Plano Marshall. União para encontrar respostas de médio e longo prazo e uma chanceler alemã disposta a abrir cordões à bolsa, é o clima da reunião dos líderes europeus que hoje se juntam em videoconferência.

No Conselho Europeu desta tarde foi igualmente aprovado, como já era previsto, o pacote apresentado pelo Eurogrupo de 540 mil milhões de euros de apoios imediatos e que fora estabelecido na reunião dos ministros das finanças da zona euro a 9 de abril.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Eurodeputados exigem pelo menos 2 biliões de euros para recuperar economia
Os eurodeputados agarram as rédeas: pelo menos 2 biliões de euros a mais, sobretudo em subsídios e não em empréstimos, é o que deverá constar no plano para recuperar a economia. E o Parlamento Europeu insiste em participar no desenho do orçamento para 2021-27, que se criem novas fontes de financiamento e que não haja “malabarismos” com os números.
Comissão Europeia não quer "coronabonds"
Comissão Europeia quer resposta à crise provocada pela covid-19 dentro do orçamento plurianual. Coronabonds são apenas um "slogan", disse von der Leyen no sábado passado. Um orçamento maior poderão ser boas notícias para Portugal e Amigos da Coesão.