Escolha as suas informações

China anuncia mecanismo para restringir atividades de empresas estrangeiras
Economia 19.09.2020

China anuncia mecanismo para restringir atividades de empresas estrangeiras

China anuncia mecanismo para restringir atividades de empresas estrangeiras

Foto: AFP
Economia 19.09.2020

China anuncia mecanismo para restringir atividades de empresas estrangeiras

Lusa
Lusa
O Ministério do Comércio chinês acusou hoje Washington de intimidação ao proibirem o descarregamento, da TikTok e da WeChat, e ameaçou retaliar.

O Governo chinês anunciou hoje a criação de um mecanismo para restringir as atividades de empresas estrangeiras, medida vista como uma represália contra os Estados Unidos.

O anúncio do Ministério do Comércio chinês, efetuado no meio da crescente tensão entre Pequim e Washington, não identificou qualquer empresa estrangeira.

De um modo geral, menciona uma série de situações que podem colocar as empresas numa futura "lista de entidades não fiáveis", passíveis de multas, restrição de atividades ou entrada de material e de pessoal na China.

Esta lista incluirá as empresas cujas atividades "causem dano à soberania nacional da China e aos seus interesses em matéria de segurança e de desenvolvimento" ou que violem "as regras económicas e comerciais internacionalmente aceites", de acordo com o Ministério.


TikTok banido das lojas de aplicações dos EUA a partir de domingo
Já a partir de domingo a Tiktok vai desaparecer das lojas de aplicações nos EUA.

Este anúncio surgiu depois de os Estados Unidos terem proibido o descarregamento, a partir de domingo, das aplicações TikTok e WeChat dos gigantes chineses ByteDance e Tencent, respetivamente.

Em comunicado, o Ministério do Comércio chinês acusou hoje Washington de intimidação ao proibirem o descarregamento, da TikTok e da WeChat, e ameaçou retaliar.

"Se os Estados Unidos persistirem nas suas ações unilaterais, a China tomará as medidas necessárias para proteger de forma resoluta os direitos e os legítimos interesses das empresas chinesas", de acordo com a nota.

As tensões entre os Estados Unidos e a China estão a aumentar, desde agosto, quando o Presidente norte-americano, Donald Trump, em campanha eleitoral para a reeleição, apresentou um ultimato à TikTok, que acusou de espionagem industrial a favor de Pequim, sem ter divulgado quaisquer provas.

O gigante das telecomunicações chinês está também numa "lista negra" norte-americana para a impedir de adquirir tecnologias dos Estados Unidos indispensáveis aos telemóveis que produz. Washington estão também a pressionar a Europa para que exclua a Huawei das futuas redes de telecomunicaçoes móveis de quinta geração (5G).

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

China. Todas as empresas que obedecerem às sanções de Trump irão para uma lista negra
"As empresas, organizações e particulares estrangeiros que não obedecerem às regras do mercado, que se afastam do espírito de um contrato, que impõem embargos ou param de fornecer empresas chinesas por razões não comerciais e danificam gravemente os seus interesses e direitos legítimos serão colocados numa lista de entidades não confiáveis", disse o porta-voz do Ministério do Comércio da China, Gao Feng.