Escolha as suas informações

CES quer criar sistema de alerta para estimativas do PIB
Economia 2 min. 28.06.2019

CES quer criar sistema de alerta para estimativas do PIB

CES quer criar sistema de alerta para estimativas do PIB

Foto: Pixabay
Economia 2 min. 28.06.2019

CES quer criar sistema de alerta para estimativas do PIB

Paula CRAVINA DE SOUSA
Paula CRAVINA DE SOUSA
O PIB é um indicador económico de que quase toda a gente já ouviu falar. Afinal serve para medir a saúde da economia de um país. Mas o que acontece quando o PIB é revisto tantas vezes como ocorre no Luxemburgo? A fiabilidade e volatilidade deste indicador no país têm sido questionadas.

O Conselho Económico e Social (CES) quer criar um sistema de alerta – semelhante a um semáforo – para aplicar às estimativas que o instituto de estatística luxemburguês (Statec) faz do Produto Interno Bruto (PIB) do país. Isto porque o PIB é revisto demasiadas vezes pelo Statec.

O CES apresentou hoje o seu relatório sobre a evolução económica e social do país e concentrou a sua atenção na volatilidade e fiabilidade dos dados económicos do Luxemburgo. É que as revisões do PIB são frequentes. Exemplo disso, foram as sucessivas revisões em baixa do crescimento económico de 2017, que acabou por atingir apenas os 1,5%.

O CES considera que o PIB é o principal indicador que permite fazer comparações internacionais e também comparar a evolução económica do país no tempo. Ora, as revisões sucessivas podem dar um sentimento de pouca fiabilidade, tanto mais que é usado como um termómetro da saúde da economia e que muitas das políticas são orientadas em função daquele indicador. O CES refere que a Comissão Europeia já alertou para a disponibilidade e exatidão dos dados estatísticos, que “podem colocar um problema no Luxemburgo”.

Assim aquele organismo considera que os números devem ser provisórios durante muito tempo, até porque só ao final de quatro anos é que os números do PIB estabilizam e se “cristalizam”. Desta forma, o CES sugere que seja adotado uma escala de confiança, um semáforo, que reflita o grau de revisão futura das contas públicas. Por exemplo, a cor vermelha serviria para as primeiras estimativas, que fossem revistas no prazo de nove meses. Já se a revisão fosse feita apenas daí a 45 meses, o sinal seria o verde.

Por outro lado, recomenda-se que o cálculo do PIB seja acompanhado de mais elementos, como os relativos à receita. A vantagem seria ter mais elementos que ajudassem a confirmar os dados do PIB, para reduzir a probabilidade de revisão.

No entanto, a concretização desta sugestão enfrenta uma dificuldade: o Statec não tem acesso aos dados da Administração das Contribuições Diretas (ACD). Segundo explica o CES, esta não tem forma de tornar os dados anónimos para os poder divulgar junto do Statec.

O CES é um organismo constituído por representantes de empresas, de trabalhadores e também por representantes nomeados pelo Governo. Entre as missões deste órgão estão, por exemplo, o aconselhamento ao Executivo sobre políticas económicas, sociais e financeiras e a realização de um relatório sobre a situação económica do país.

Paula Cravina de Sousa


Notícias relacionadas