Escolha as suas informações

Cerca de seis milhões de autotestes distribuídos às empresas do Luxemburgo
Economia 11.05.2021

Cerca de seis milhões de autotestes distribuídos às empresas do Luxemburgo

Cerca de seis milhões de autotestes distribuídos às empresas do Luxemburgo

Foto: Sebastian Gollnow/dpa
Economia 11.05.2021

Cerca de seis milhões de autotestes distribuídos às empresas do Luxemburgo

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Independentes ou patrões que empregam apenas um trabalhador também vão ter acesso a estes testes.

O Governo vai colocar à disposição das empresas 5,7 milhões de autotestes à covid-19 que vão ser distribuídos pelos quatro centros regionais, nomeadamente em Sanem, Bertrange, Diekirch e Grevenmacher.

O objetivo é que cada assalariado possa fazer o teste à covid duas vezes por semana, e isso durante seis semanas. Segundo os dados fornecidos pelo ministro do Trabalho, Dan Kersch, em comissão parlamentar, a ação deverá arrancar a 17 de maio. As empresas vão começar a receber os convites para levantarem os autotestes nos centros de distribuição. 

Segundo Dan Kersch os independentes ou patrões que empregam apenas um trabalhador também vão ter acesso a estes autotestes. Já as empresas com mais de 500 pessoas, as administrações do Estado e as comunas não fazem parte desta campanha, já que vão receber os testes de forma individual, sem passar pelos centros regionais. 


Comissão dos Direitos Humanos defende testes gratuitos para todos na Horeca
Parecer da CCDH levanta muitas dúvidas sobre as novas regras na restauração, nomeadamente os testes obrigatórios para quem quer sentar-se no interior.

O ministro assegurou ainda que as empresas não são obrigadas a participar na ação, mas salientou que é importante participar de forma a proteger os  trabalhadores, tal como previsto no Código do Trabalho. A ação de distribuição no setor empresarial nada tem a ver com a distribuição dos 500.000 testes ao setor da Horeca, que arrancou esta segunda-feira. Esta última tem em vista a reabertura em pleno de restaurantes e cafés, medida que foi criticada pela Comissão dos Direitos Humanos luxemburguesa. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas