Escolha as suas informações

Cerca de 60% dos internautas no Luxemburgo gastaram mais de 300 euros em compras na internet
Economia 29.04.2021

Cerca de 60% dos internautas no Luxemburgo gastaram mais de 300 euros em compras na internet

Cerca de 60% dos internautas no Luxemburgo gastaram mais de 300 euros em compras na internet

Economia 29.04.2021

Cerca de 60% dos internautas no Luxemburgo gastaram mais de 300 euros em compras na internet

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Dados do Statec divulgados esta quinta-feira revelam que 42,1 dos utilizadores de internet gastaram entre 50 a 300 euros em produtos e serviços adquiridos pela internet, enquanto que 15,8% gastou 1000 euros ou mais.

Quase 60% dos utilizadores de Internet no Luxemburgo gastaram mais de 300 euros em compras online, nos primeiros meses de 2020. 

Segundo um inquérito do Statec, realizado entre março e junho de 2020, no início da pandemia, e cujos dados foram divulgados esta quinta-feira, 57,9% gastaram mais de 300 euros em aquisições de produtos e serviços através da internet. 

Os dados mostram que 42,1 dos utilizadores de internet gastaram entre 50 a 300 euros em compras online, enquanto que 15,8% gastou 1000 euros ou mais, 15,2% gastaram entre 500 e 1000 euros e percentagem idêntica despendeu entre 300 e 500 euros no comércio eletrónico.


Luxemburgo. 85% dos utilizadores de Internet fizeram compras online na primeira fase da pandemia
Vestuário e serviços de entregas da restauração lideraram as preferências das aquisições de produtos e serviços através da internet, entre março e junho de 2020.

Entre os que consumiram abaixo de 300 euros, destacam-se 22,8% que compraram produtos e serviços online em valores entre os 100 e os 300 euros, enquanto 12,8% gastou entre 50 a 100 euros e apenas 6,5% fizeram compras na internet até 50 euros.

O inquérito do Statec refere ainda que entre março e junho, 27% dos compradores fizeram uma a duas encomendas online, 34% afirmaram ter feito três a cinco, 18% seis a 10, e 21% fez mais de 10 compras pela internet. Números que, segundo o Satec, não diferem muito de 2019.



 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas