Escolha as suas informações

Bruxelas melhora projeção de saída da economia europeia da "sombra da covid"
Economia 2 min. 12.05.2021

Bruxelas melhora projeção de saída da economia europeia da "sombra da covid"

Restaurantes em Atenas, perto da Ágora Romana e da Acrópole. Em linha com outros Estados europeus, a Grécia anunciou recentemente o relaxamento das medidas contra a covid-19, nomeadamente a abertura ao turismo internacional já a partir de 14 de maio.

Bruxelas melhora projeção de saída da economia europeia da "sombra da covid"

Restaurantes em Atenas, perto da Ágora Romana e da Acrópole. Em linha com outros Estados europeus, a Grécia anunciou recentemente o relaxamento das medidas contra a covid-19, nomeadamente a abertura ao turismo internacional já a partir de 14 de maio.
Foto: AFP
Economia 2 min. 12.05.2021

Bruxelas melhora projeção de saída da economia europeia da "sombra da covid"

Lusa
Lusa
A Comissão Europeia reviu esta quarta em alta o ritmo da recuperação da economia europeia, estimando para este ano um crescimento de 4,3% na zona euro e de 4,2% na União, e de 4,4% em ambas em 2022.

As previsões macroeconómicas da primavera, divulgadas esta quarta-feira pelo executivo comunitário, invertem a tendência registada nos anteriores exercícios de projeções macroeconómicas desde a chegada da pandemia da covid-19 à Europa, que levou a Comissão a sucessivas revisões em baixa, tendo agora Bruxelas melhorado consideravelmente as previsões de inverno divulgadas em fevereiro passado.

Há três meses, a Comissão, apontando que a economia europeia permanecia "nas garras da pandemia da covid-19", estimava que em 2021 o Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro crescesse 3,8% e o da União Europeia 3,7%, tendo então agora melhorado em ambos os casos as previsões de crescimento em meio ponto percentual.

Para 2022, Bruxelas melhorou a perspetiva de crescimento para as economias da área do euro de uma subida do PIB de 3,8% (antecipada no inverno) para 4,4%, e no conjunto dos 27 Estados-membros de 3,9% também para 4,4%. Em 2020, a economia do espaço da moeda única contraiu 6,6% e a do conjunto da União 6,1%.

O executivo comunitário justifica este seu maior otimismo com os efeitos na economia da campanha de vacinação e o levantamento progressivo das restrições nos Estados-membros, que Bruxelas acredita que levará a um aumento do consumo privado, investimento e um aumento da procura das exportações da UE num cenário de fortalecimento da economia a nível global.

A Comissão nota, todavia, que o apoio que os Estados têm prestado às famílias e empresas, "vital para mitigar o impacto da pandemia na economia", levou a um aumento considerável da dívida pública, que deverá aumentar este ano meio ponto percentual, para 7,5% do PIB na UE e 8% na zona euro, com todos os países à exceção de Dinamarca e Luxemburgo a apresentarem este ano um défice superior ao limiar de 3% inscrito no Pacto de Estabilidade e Crescimento, cujas regras estão atualmente suspensas.

"A sombra da covid-19 está a começar a deixar de encobrir a economia europeia. Após um fraco início do ano, projetamos um forte crescimento tanto em 2021 como em 2022”, observou numa primeira análise o comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni, manifestando-se confiante de que o impacto do pacote de recuperação "NextGenerationEU" começará a fazer-se sentir".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A economia do Grão-Ducado deverá crescer 3,5% este ano e 3,3% no próximo ano. As estimativas constam do relatório da Previsão Económica de Verão da Comissão Europeia que foi hoje divulgado. Os valores hoje apresentados representam uma revisão em baixa face à previsão da Primavera, divulgada em maio, que apontava para um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,7% para este ano e de 3,5% para 2019.
O comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, apresentou hoje as Previsões Económicas de Verão da Comissão Europeia.
A Comissão Europeia considera que o crescimento do Luxemburgo é volátil, mas assegura que as previsões económicas do país são favoráveis. Bruxelas traçou assim o cenário económico dos próximos anos nas projeções da primavera hoje divulgadas e reviu em baixa o crescimento estimado para este ano.
O Luxemburgo deverá crescer este ano 3,1%, 3,2% em 2016 e 3% em 2017. Na zona euro, o Luxemburgo só é ultrapassado por Malta e pela Irlanda, segundo as previsões económicas da Comissão Europeia divulgadas hoje.
O sector bancário continua a ser o motor da economia luxemburguesa