Escolha as suas informações

Brexit: Saída sem acordo pode custar 57,3 mil milhões de euros por ano à economia britânica
Economia 2 min. 21.03.2019

Brexit: Saída sem acordo pode custar 57,3 mil milhões de euros por ano à economia britânica

Brexit: Saída sem acordo pode custar 57,3 mil milhões de euros por ano à economia britânica

Foto: AFP
Economia 2 min. 21.03.2019

Brexit: Saída sem acordo pode custar 57,3 mil milhões de euros por ano à economia britânica

A primeira-ministra britânica, Theresa May, pediu um adiamento da data de saída, prevista para 29 de março, por três meses, até 30 de junho.

Uma saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo custaria à economia britânica 57,3 mil milhões de euros por ano, quase 900 euros per capita, segundo um estudo divulgado hoje pelo Instituto Bertelsmann.

O instituto alemão calculou que um ‘Brexit’ sem acordo terá um impacto negativo em todos os restantes 27 Estados membros da UE, sobretudo Alemanha e França, calculando que a economia da UE em termos globais perderia cerca de 40,4 mil milhões de euros.

"O ‘Brexit’ pode afetar seriamente os alicerces da maior área económica do mundo e Bruxelas e Londres devem fazer tudo ao seu alcance para chegar a um acordo", disse Aart de Geus, presidente do Instituto.

A perspetiva de uma saída sem acordo agravou-se nos últimos dias devido ao chumbo por duas vezes no parlamento do Acordo de Saída negociado pelo Governo britânico com Bruxelas e finalizado em novembro do ano passado.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou na quarta-feira que pediu um adiamento da data de saída, prevista para 29 de março, por três meses, até 30 de junho, de forma a submeter pela terceira vez o documento aos deputados e aprovar a respetiva legislação.


May pede adiamento do Brexit até 30 de junho
A nova data coloca problemas no que respeita às eleições europeias, que decorrem a 26 de maio e acrescenta confusão a todo o processo de saída.

Porém, os 27 responderam que a extensão do artigo 50.º, que determina um período de dois anos de negociação para ser ratificado um acordo, só será aceite se o Acordo for aprovado pelo parlamento na próxima semana.

As consequências económicas de uma saída britânica da UE sem acordo já foram objeto de análises por outras instituições, incluindo pelo governo britânico, que, num estudo divulgado no ano passado, apontou para uma redução do Produto Interno Bruto (PIB) de 9,3% em 15 anos.

O Banco de Inglaterra estimou que o mesmo cenário pode provocar um recuo de 7,8% a 10,5% no PIB britânico até 2024, juntamente com uma depreciação da libra de até 25% e um aumento da inflação para 6,5%.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) previu uma contração do PIB de 5% a 8%, enquanto a organização patronal britânica CBI, que agrega cerca de 190 mil empresas, prevê uma queda do PIB de até 8% se o Reino Unido sair da UE sem um acordo.


Notícias relacionadas

Governo e trabalhistas tentam um compromisso sobre o Brexit
O braço direito de Theresa May afirmou que tinha acordado com John McDonnell "um programa de reuniões na próxima semana" entre membros do Governo e líderes do Partido Trabalhista "para discutir coisas como normas de proteção do ambiente, direitos dos trabalhadores e relações de segurança entre o Reino Unido e a União Europeia (UE)".