Escolha as suas informações

Brexit. "Luxemburgo já é uma das capitais financeiras europeias"
Economia 28.01.2020 Do nosso arquivo online

Brexit. "Luxemburgo já é uma das capitais financeiras europeias"

Luc Frieden.

Brexit. "Luxemburgo já é uma das capitais financeiras europeias"

Luc Frieden.
Foto de arquivo: Gerry Huberty
Economia 28.01.2020 Do nosso arquivo online

Brexit. "Luxemburgo já é uma das capitais financeiras europeias"

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O Luxemburgo é já "uma das praças mais fortes em gestão de ativos" e "líder em fundos de investimento". Mas "não é um paraíso fiscal", defende Luc Frieden.

Agora é de vez. O Reino Unido sai da União Europeia na próxima sexta-feira. Uma das consequências do Brexit para o Luxemburgo é a mudança de várias empresas do setor financeiro da praça de Londres para o Grão-Ducado. Assim mantêm-se no mercado único europeu.

Mas o presidente da Câmara de Comércio do Luxemburgo desvaloriza esta situação, considerando que "não causa grande impacto no país". Para Luc Frieden, o Luxemburgo já é uma das capitais financeiras da Europa, com "uma economia aberta e diversificada".

A opinião foi manifestada numa entrevista aos jornais 'El País' e 'Expansión', durante a recente visita a Espanha. Questionado se, com o Brexit, a praça financeira luxemburguesa poderia tornar-se na nova City de Londres, o presidente da Câmara do Comércio e antigo ministro das Finanças lembrou que o Grão-Ducado é já "uma das praças mais fortes em gestão de ativos" e "líder em fundos de investimento".

Luc Frieden defende que as leis do país "estão feitas para investidores que operam no plano internacional", convertendo o Luxemburgo numa das capitais europeias dos serviços financeiros, juntamente com Paris, Amesterdão e Frankfurt.

Luc Frieden.
Luc Frieden.
Foto de arquivo: Gerry Huberty

Confrontado sobre os baixos impostos cobrados às multinacionais e com o facto de o Luxemburgo ser conotado por organismos independentes como paraíso fiscal, Luc Frieden rejeita essa qualificação.

"O Luxemburgo segue as regras sobre a fiscalidade internacional estabelecidas pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e pela União Europeia (UE)" e "as empresas escolhem o Luxemburgo pelo ecossistema económico que desenvolveu nos últimos 20 anos".

"Se fosse um paraíso fiscal, a OCDE e a UE já teriam optado por uma intervenção, mas não o fizeram", assegura o ex-ministro das Finanças do último governo de Jean-Claude Juncker.

Luc Frieden diz ainda que "qualquer país da Europa pode implementar as mesmas leis" do Grão-Ducado, onde as empresas e os contribuintes pagam impostos que se situam na média da OCDE".


Notícias relacionadas

Vêm aí novos impostos. A ideia parece certa, mas não se sabe ainda quando nem como. A culpa é da saída do Reino Unido da União Europeia. É que o grupo dos 27 vai ter de arranjar forma de compensar a redução que o Brexit vai provocar no orçamento comunitário.
O banco de investimento norte-americano Northern Trust é a mais recente entidade do setor financeiro a trocar a praça financeira de Londres pelo Luxemburgo.