Escolha as suas informações

Bélgica. Arrendar uma casa na Valónia custa apenas 600 euros por mês, em média
Economia 2 min. 09.01.2020 Do nosso arquivo online

Bélgica. Arrendar uma casa na Valónia custa apenas 600 euros por mês, em média

Bélgica. Arrendar uma casa na Valónia custa apenas 600 euros por mês, em média

Economia 2 min. 09.01.2020 Do nosso arquivo online

Bélgica. Arrendar uma casa na Valónia custa apenas 600 euros por mês, em média

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Arrendar um apartamento de luxo ou moradia pode custar em média de 1500 euros por mês, indica um novo relatório sobre o mercado de arrendamento.

Basta passar a fronteira e chegar à região da Valónia e o valor do arrendamento de um apartamento ou moradia desce para menos de metade do que no Luxemburgo. Isso mesmo revelam os resultados do "Relatório sobre o mercado de arrendamento de casas na Valónia", realizado pelo Observatório da Habitação de Arrendamento, apresentado esta semana.

Em Bastone, a média mensal de uma casa é de 599 euros, e em Arlon 703 euros. Na Valónia a zona mais cara é Niveles, a 811 euros, indica o documento feito com base em dados de 2018.

Um quarto das rendas a menos de 500 euros

Nesta região belga o valor do arrendamento mensal médio é de 616 euros, excluindo os encargos. Com encargos chega aos 679 euros. O teto médio máximo é de 1500 euros, e um quarto do total das rendas é igual ou inferior a 500 euros.

Nesta região belga não existe especulação imobiliária. O relatório salienta que os valores médios são baixos "devido ao fraco número de arrendamentos com valores elevados na região".


"No Luxemburgo só ficarão a morar os ricos"
Em 2016 62% do total dos terrenos pertenciam a 15.907 indivíduos; 18,6% estavam nas mãos de 746 empresas privadas. O restante pertencia ao Estado, municípios e promotores públicos.

As mensalidades mais caras referem-se a apartamentos ou moradias muito específicas "espaçosas e luxuosas que correspondem a arrendamentos residenciais muito específicos", nomeadamente para "expatriados executivos, habitações com instalações comerciais incluídas", entre outras, refere o relatório.

Casas novas a menos de 700 euros/mês

Até os imóveis mais recentes têm preços acessíveis quando comparados com os preços elevados do Grão-Ducado. Moradias e apartamentos construídos nesta região entre 2000 e 2010 estão disponíveis para arrendar, em média, a 698 euros por mês. As construções já feitas depois de 2010 estão a 693 euros por mês.

Por outro lado, um por cento das rendas é inferior a 300 euros.

Na metade das habitações com valores mensais superiores a 600 euros mensais, "uma em cada cinco casas, os inquilinos pagam entre 601 e 700 euros". Um quarto dos arrendamentos mais caros ultrapassa os 700 euros. Apenas 0,3% dos imóveis alugados possui rendas entre 1501 euros e 2800 euros, o máximo mensal pago por uma casa nesta região e "tratam-se de bens particularmente excecionais", diz o relatório.

Mais moradias do que apartamentos

Nesta região existem mais moradias arrendadas do que apartamentos, sendo que os apartamentos constituem menos de dois terços deste parque habitacional.

Pelo que, ao nível de toda a região, a diferença entre arrendar uma casa com jardim ou um apartamento num prédio pode ser de apenas 105 euros, em média.

Embora localizados em províncias onde os preços são mais baratos, Waremme e Soignies oferecem rendas acima da média, entre 650 e 672 euros, lê-se também no relatório. 

Os preços médios de rendas, entre 600 e 640 euros predominam em todos os distritos de Namur, Neufchâteau e Virton (na província do Luxemburgo), Huy (província de Liège), Thuin e Ath (província de Hainaut). As rendas mais baixas, na ordem dos 547 euros, encontram-se em Charleroi, também na província de Hainaut. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Apartamentos aumentaram 12% no último ano
Dados do Grupo atHome revelam que a média da renda para um apartamento é de 1.520 euros, enquanto para uma casa se situa nos 2.892 euros, tendo subido 10%. O aumento nos preços para compra de apartamentos e de casas chegou a 12 e 11%, respetivamente.
Governo aprova construção de 346 habitações sociais
O Governo luxemburguês aprovou a construção de 56 novos projetos de habitação social, orçados em 55,16 milhões de euros, que se traduzem num total de 346 casas ou apartamentos. Do total, 93 são para venda e 253 para arrendamento.
Statec: Estúdios mais caros em média do que os apartamentos
Os preços elevados da habitação, para vender ou arrendar, são apontados, há décadas, como um dos maiores problemas, para quem chega e se quer instalar no Luxemburgo. O segundo trimestre deste ano confirmou essa tendência, com uma subida anual dos preços do imobiliário de 5,6%.