Escolha as suas informações

BCE mantém taxas de juro em mínimos até, pelo menos, ao fim do primeiro semestre de 2020
Economia 06.06.2019

BCE mantém taxas de juro em mínimos até, pelo menos, ao fim do primeiro semestre de 2020

BCE mantém taxas de juro em mínimos até, pelo menos, ao fim do primeiro semestre de 2020

Foto: AFP
Economia 06.06.2019

BCE mantém taxas de juro em mínimos até, pelo menos, ao fim do primeiro semestre de 2020

A inflação tem estado longe da meta do BCE, logo abaixo dos 2%, o que tem tornado urgente a adoção de mais estímulos à economia.

O Banco Central Europeu (BCE) indicou hoje que as suas taxas de juro, que estão em mínimos históricos, não devem aumentar antes do fim "do primeiro semestre de 2020".

No comunicado divulgado no final de uma reunião de política monetária realizada em Vilnius, na Lituânia, a instituição sugere pela segunda vez um adiamento da primeira subida das taxas de juro na zona euro desde 2011.

Na sua reunião de março, o BCE disse que as manteria nos níveis atuais até finais de 2019, quando anteriormente indicava que esse nível seria mantido pelo menos até ao verão de 2019.

A taxa de juro aplicável às principais operações de refinanciamento está em zero e a taxa de depósito para os bancos vai permanecer negativa, em -0,40%.

O BCE detalhou também o novo programa de empréstimos aos bancos com prazo alargado, uma iniciativa anunciada em março.

Os empréstimos serão lançados entre setembro próximo e março de 2021, cada um com um prazo de dois anos.

A instituição indicou que cada empréstimo será concedido a uma taxa fixada num nível situado "10 pontos base acima da média da taxa de juro aplicável às principais operações de refinanciamento", que atualmente é de 0%.

Para os bancos que disponibilizem mais crédito na economia, as taxas podem mesmo descer até uma taxa de juro média 10 pontos base acima da taxa de depósito, ou seja, podem ficar em -0,30%.

O BCE afirmou ainda que pretende continuar a reinvestir na totalidade os títulos que adquiriu ao abrigo do seu programa de compra de ativos e que atinjam a sua maturidade "durante um período prolongado após a data em que comece a aumentar as taxas de juro diretoras".

O presidente do BCE, Mario Draghi, vai explicar estas decisões numa conferência de imprensa, durante a qual serão divulgadas novas previsões de inflação e de crescimento.

Lusa


Notícias relacionadas