Escolha as suas informações

Banco Central do Luxemburgo: Consumidores luxemburgueses estão mais optimistas
A confiança dos consumidores luxemburgueses está nos dez pontos

Banco Central do Luxemburgo: Consumidores luxemburgueses estão mais optimistas

Foto: AP
A confiança dos consumidores luxemburgueses está nos dez pontos
Economia 31.03.2016

Banco Central do Luxemburgo: Consumidores luxemburgueses estão mais optimistas

Os consumidores estiveram mais optimistas em Março, indicam os dados divulgados hoje pelo Banco Central do Luxemburgo. O indicador situa-se agora nos 10 pontos, face aos oito pontos registados em Fevereiro.

Os consumidores estiveram mais optimistas em Março, indicam os dados divulgados hoje pelo Banco Central do Luxemburgo. O indicador situa-se agora nos 10 pontos, face aos oito pontos registados em Fevereiro.

Em Março do ano passado, a confiança dos consumidores estava em terreno negativo, nos -2 pontos.

O indicador é medido pela média de quatro componentes: situação económica do Luxemburgo, preocupação em relação ao desemprego, situação financeira da família e capacidade de poupança. Quase todos os factores tiveram uma evolução positiva, à excepção da capacidade de poupança, que baixou dos 46 para os 45 pontos.


Notícias relacionadas

BCL: Confiança dos consumidores atinge recorde no Luxemburgo
A confiança dos consumidores atingiu um máximo histórico em janeiro deste ano. De acordo com o indicador medido pelo Banco Central do Luxemburgo, a confiança atingiu os 20 pontos, numa forte valorização após, em dezembro, ter descido para os 15 pontos.
Consumidores do Luxemburgo estão menos confiantes
Os consumidores residentes no Luxemburgo estão menos confiantes. De acordo com os dados do Banco Central do Luxemburgo, o indicador de confiança dos consumidores caiu significativamente em dezembro do ano passado, depois de três meses consecutivos a subir.
Luxemburgo: Confiança dos consumidores subiu em Agosto
A confiança dos consumidores que residem no Luxemburgo melhorou em Agosto. O indicador é medido através de quatro componentes: a situação económica do Grão-Ducado, o desemprego, a situação financeira dos lares e a perspectiva em relação à capacidade de poupança dos mesmos.
A confiança subiu dos sete para os dez pontos