Escolha as suas informações

Aumento do preço das casas está a abrandar no Luxemburgo
Economia 24.01.2023
Statec

Aumento do preço das casas está a abrandar no Luxemburgo

Statec

Aumento do preço das casas está a abrandar no Luxemburgo

Foto: Marc Wilwert/Luxemburger Wort
Economia 24.01.2023
Statec

Aumento do preço das casas está a abrandar no Luxemburgo

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Segundo o Statec, há sinais de abrandamento na subida dos preços das habitações, sobretudo das mais antigas, devido à inflação e ao aumento das taxas de juro.

Os preços da habitação mantêm-se elevados no Luxemburgo, mas o ritmo da subida está a ter uma desaceleração, de acordo com boletim de conjuntura de janeiro do Statec. No terceiro trimestre de 2022, os preços de venda dos imóveis residenciais apresentaram um aumento anual de 11,1%, contudo, e ainda que este crescimento seja "historicamente elevad0", o Statec refere que a "subida dos preços tende a abrandar, particularmente para propriedades mais antigas". 


Pedidos de crédito à habitação caem no Luxemburgo
A informação foi avançada pelo economista do banco BGL BNP Paribas, Yves Nosbusch, à RTL.

De acordo com a análise do gabinete de estatísticas luxemburguês, este abrandamento no aumento dos preços das casas não é exclusivo do Grão-Ducado. O país acompanha a tendência observada noutros estados da zona euro, o que se explica por um conjunto de fatores comuns que influenciam esta evolução. 

"A inflação elevada e o subsequente aumento das taxas de juro e hipotecárias estão a exercer pressão sobre a capacidade de financiamento e a reduzir relativamente a atratividade de investir em imóveis residenciais", explica o gabinete. 

Nas habitações novas os valores dispararam em flecha

Em contraciclo com este abrandamento na subida dos preços da habitação têm estado as casas novas, cujos preços subiram em flecha no terceiro trimestre de 2022. No entanto, sublinha o Statec, esta evolução está sobretudo relacionada com detalhes técnicos contratuais. 


Preços das casas aumentaram 140% em mais de dez anos no Grão-Ducado
Com uma subida de 140%, o Luxemburgo só foi ultrapassado pela Hungria (174%) e pela Estónia (199%), segundo dados do Eurostat.

"De acordo com o Observatório da Habitação, esta subida pode ser explicada principalmente devido a uma mudança nos contratos para novas habitações ainda em construção, que, em vez de uma cláusula de indexação aos preços de construção, incluirão o aumento estimado dos custos já no preço de venda", que passa a ser assim mais elevado.

Os preços na construção ainda se encontram numa fase de aceleração, tendo registado uma variação anual de +15,9%, no quarto trimestre de 2022 - um máximo histórico -, o que influencia os preços de novas habitações, sinaliza o Statec.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Muito acima da média europeia, o Grão-Ducado está do pódio dos países que observaram o maior aumento do preço das casas entre 2010 e 2020 com uma taxa de 99,8%. Nem a pandemia impediu um novo recorde. Em relação ao quarto trimestre de 2019, o valor dos imóveis registou uma subida de 16,7%. Na capital, o metro quadrado ultrapassou pela primeira vez os 10 mil euros.