Escolha as suas informações

Aumento de 18%. Pão "mais caro do que nunca" na UE
Economia 2 min. 19.09.2022
Guerra na Ucrânia

Aumento de 18%. Pão "mais caro do que nunca" na UE

Guerra na Ucrânia

Aumento de 18%. Pão "mais caro do que nunca" na UE

Economia 2 min. 19.09.2022
Guerra na Ucrânia

Aumento de 18%. Pão "mais caro do que nunca" na UE

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Segundo o Eurostat, a Hungria foi o Estado-membro onde o preço do pão mais aumentou, em agosto, enquanto o Luxemburgo ficou abaixo da média da UE com a terceira menor subida.

A guerra na Ucrânia está a fazer subir o preço dos alimentos, em especial do pão, que atingiu níveis inéditos na União Europeia, segundo revela um relatório do Eurostat divulgado esta segunda-feira.

De acordo com o gabinete de estatísticas europeu o pão "está mais caro do que nunca", na UE, tendo o seu preço, em agosto deste ano, sido em média 18% mais elevado do que no período homólogo. Em agosto de 2021 o preço deste bem alimentar subiu apenas 3% em relação a agosto de 2020.


.
O preço do pão vai ser como o da gasolina?
Dois meses de guerra da Rússia contra a Ucrânia engrossaram, até agora, um número trágico de mortes, refugiados, destruição e incerteza total sobre quando tudo isto acabará. E o que se passa no Leste da Europa é, cada vez mais, o desnorte na cúpula europeia.

A guerra na Ucrânia que se seguiu à invasão russa do país, em fevereiro, e as sanções dos países ocidentais aos produtos russos têm perturbado os mercados globais de alimentação, uma vez que os dois estados em conflito são grandes exportadores de cereais, trigo, milho, oleaginosas (particularmente girassóis) e fertilizantes.

Além do pão, também os vegetais e carne se tornaram mais caros, nota o Eurostat, acrescentando que os preços dos óleos e gorduras alimentares subiram acentuadamente.

Pão aumentou mais de 60% na Hungria

A Hungria foi o Estado-membro do conjunto dos 27 a registar o maior aumento nos preços do pão, que em agosto de 2022 passou a custar mais 66% face ao mesmo período do ano anterior. 

A Lituânia (+33%), a Estónia e a Eslováquia (ambos +32%) foram os países da UE com as maiores subidas de preços.

Luxemburgo entre os três países com menor aumento

Em contrapartida, os aumentos foram menos expressivos em França, onde o preço aumentou 8%, e nos os Países Baixos e o Luxemburgo, ambos com subidas de 10%, em agosto.

Apesar da subida de custos ter sido menor no Grão-Ducado, em agosto de 2022, o país era, em 2020, o Estado-membro com o nível de preços do pão mais caro da UE, segundo uma outra análise igualmente realizada pelo Eurostat.

Portugal também ficou abaixo do aumento médio da União Europeia (de 18%), registando, ainda assim, um acréscimo de 15% no valor do pão. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O preço das casas no Luxemburgo disparou na última década. O gabinete europeu de estatística (Eurostat) fez as contas e concluiu que o Luxemburgo é o segundo Estado-membro com a maior subida dos preços na habitação entre 2010 e o primeiro trimestre de 2021.
O preço da habitação no Luxemburgo voltou a registar um aumento acima da média europeia no segundo trimestre do ano, de acordo com dados do Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat).
O preço das casas subiu 6,8% no Luxemburgo nos primeiros três meses do ano, face ao período homólogo de 2016, de acordo com o Eurostat. Este aumento representa uma subida acima das médias registadas para a zona euro e para a União europeia (UE).