Escolha as suas informações

ArcelorMittal com perdas de 500 milhões de euros no segundo trimestre do ano
Economia 30.07.2020

ArcelorMittal com perdas de 500 milhões de euros no segundo trimestre do ano

ArcelorMittal com perdas de 500 milhões de euros no segundo trimestre do ano

Economia 30.07.2020

ArcelorMittal com perdas de 500 milhões de euros no segundo trimestre do ano

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
As vendas caíram 43% devido à baixa procura durante o trimestre abril/junho por causa da pandemia do coronavírus.

A siderúrgica ArcelorMittal registou uma perda líquida de quase 560 milhões de dólares (476 milhões de euros) no segundo trimestre de 2020, avançou esta quinta-feira a empresa em comunicado. 

As vendas caíram 43% devido à baixa procura durante o trimestre abril/junho,  atingindo 9,3 milhões de euros, quando tinham registado 16 milhões de euros no mesmo período do ano passado. 

O total dos carregamentos de aço no segundo trimestre de 2020 foi 23,7% inferior ao esperado, com 14,8 milhões de toneladas transportadas, segundo dados do Economic Times.   

Lakshmi N. Mittal, CEO da empresa, não disfarça o desânimo relativo aos resultados, admitindo que "os primeiros seis meses do ano - e particularmente o segundo trimestre - têm sido um dos períodos mais difíceis da história da empresa, com a procura de aço consideravelmente perturbada pela pandemia". 

Apesar destes resultados, a empresa mostra-se positiva uma vez que os "mercados chave da empresa estão a dar sinais de recuperação ". Mas admite que "a velocidade e a trajetória da recuperação da procura após a pandemia permaneçam incertas".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Eurostat: Zona euro cresce ao ritmo mais elevado desde 2011
A economia da zona euro cresceu 2,1% no segundo trimestre do ano, face ao período homólogo. Os dados ficam em linha com o previsto pelos analistas. Este é o ritmo mais elevado desde 2011, de acordo com os dados do Eurostat, já que nos primeiros três meses daquele ano, a economia cresceu 2,9%.