Escolha as suas informações

ArcelorMittal chega a acordo com sindicatos da Ilva

ArcelorMittal chega a acordo com sindicatos da Ilva

Foto: Guy Jallay
Economia 06.09.2018

ArcelorMittal chega a acordo com sindicatos da Ilva

A ArcelorMittal anunciou hoje que chegou a acordo com os sindicatos da italiana Ilva. Segundo o comunicado da gigante do aço, o acordo é provisório, mas “um marco importante” na proposta de aquisição da empresa italiana.

A ArcelorMittal anunciou hoje que chegou a acordo com os sindicatos da italiana Ilva. Segundo o comunicado da gigante do aço, o acordo é provisório, mas “um marco importante” na proposta de aquisição da empresa italiana.

O compromisso prevê uma solução para todos os trabalhadores da Ilva. A ArcelorMittal explica que inicialmente se comprometeu a contratar 10.700 trabalhadores com base nos termos atuais dos seus contratos de trabalho. Ora, além disso, entre 2023 e 2025, a ArcelorMittal garante agora a contratação dos trabalhadores que se mantenham na esfera da Ilva no âmbito do processo de insolvência.

O acordo vai agora ser votado pelos trabalhadores da Ilva, antes de ser formalmente ratificado.

Recorde-se que a gigante do aço conseguiu luz verde de Bruxelas para comprar a Ilva, mas em julho, o Governo italiano decidiu rever todo o processo de venda, depois de a autoridade nacional anticorrupção ter levantado problemas relacionados com a operação. O controlo da Ilva foi então adiado e a data limite é 15 de setembro.

No início de agosto, surgiram novos elementos de incerteza em torno do negócio. O ministro italiano do desenvolvimento económico, Luigi Di Maio, pediu à ArcelorMittal um esforço para manter mais postos de trabalho na Ilva. No projeto, A ArcelorMittal comprometia-se a garantir dez mil dos 13.500 empregos da empresa.

Em comunicado, o CEO da ArcelorMittal, Aditya Mittal, veio agora agradecer a di Maio e a todos os que trabalharam para o compromisso conseguido. “Assim que tomarmos o controlo formal da Ilva, a nossa prioridade será a de assegurar a estabilidade operacional, e começar a implementar os programas de investimento de 2,4 mil milhões de euros”.

Recorde-se ainda que para ficar com a Ilva, Bruxelas obriga a ArcelorMittal a desfazer-se e alguns ativos. É o caso da unidade de Dudelange, no Luxemburgo e de outras fábricas em França, Bélgica, e outros.


Notícias relacionadas

Governo italiano pede mais esforços à ArcelorMittal
O ministro italiano do desenvolvimento económico, Luigi Di Maio, pediu à ArcelorMittal um esforço para manter mais postos de trabalho na Ilva. Em causa está o plano social previsto pela gigante do aço que não é considerado "satisfatório".