Escolha as suas informações

Andar de táxi é cada vez mais caro no Luxemburgo
Economia 21.10.2019

Andar de táxi é cada vez mais caro no Luxemburgo

Andar de táxi é cada vez mais caro no Luxemburgo

Foto: dpa
Economia 21.10.2019

Andar de táxi é cada vez mais caro no Luxemburgo

Ano novo preços novos, mas sempre a subir.

Os preços de vários bens essenciais registaram uma forte subida no primeiro semestre de 2019.

Na comparação homóloga, a inflação cresceu de 1,18% no primeiro semestre de 2018 para 2,03%, no mesmo período de 2019, acima da média da União Europeia (1,63%) e da zona euro (1,42%).


Um casal com dois filhos precisa de 4.213 euros por mês para viver “decentemente”
A maior fatia do rendimento destina-se à habitação.

Esta subida refletiu o aumento acentuado dos preços de vários produtos, desde 1 de janeiro deste ano, em prejuízo da carteira dos consumidores.

Comparando os dois primeiros semestres, o balanço confirma aumentos acentuados no preço da eletricidade (7,1%), gás (8,5%,), serviços (2,5%), lares de terceira idade (3,4%), creches (3,9%), cafés e restaurantes (1,9%), telefones fixos (5,1%) e telemóveis (3,4%).


Clientes pagam entre 22 e 45 euros pelo mesmo trajeto. Taxistas não se entendem sobre a lei atual
Depois de o ministro da Mobilidade e Transportes Públicos, François Bausch, ter revelado na semana passada as discrepâncias das bandeiradas, o Contacto foi para a rua falar com os trabalhadores do setor. Preços, fila única, zonas fixas e horários são alguns dos problemas apontados.

O relatório do Observatório da Formação dos Preços fecha com uma referência à forte discrepância entre o aumento dos preços dos combustíveis (6,1%, entre março de 2017 e junho de 2019) e a subida mais acentuada, no mesmo período, dos preços do transporte de táxi (11,3%).

Avelino Gomes


Notícias relacionadas

STATEC: Subida dos combustíveis dá gás à inflação
A inflação no Luxemburgo subiu para 2% em agosto, face aos 1,9% registados no mês anterior. A justificar este aumento está a escalada do preço do petróleo, que voltou a subir depois de manter a tendência em baixa desde fevereiro.