Escolha as suas informações

Alemanha. Faturas de gás mais do que duplica na região de Colónia
Economia 02.08.2022
Crise energética

Alemanha. Faturas de gás mais do que duplica na região de Colónia

Crise energética

Alemanha. Faturas de gás mais do que duplica na região de Colónia

Shutterstock
Economia 02.08.2022
Crise energética

Alemanha. Faturas de gás mais do que duplica na região de Colónia

AFP
AFP
Por exemplo, numa casa de família com um consumo anual de 15.000 quilowatts/hora, os "novos custos anuais ascendem a cerca de 2.918 euros, em comparação com os 1.353 euros anteriores".

A fatura do gás para mais de 2 milhões de lares e empresas na região de Colónia, Alemanha Ocidental, irá mais do que duplicar a partir de 1 de outubro, à medida que os preços subem e o fornecimento de gás de Moscovo vai diminuindo.  

"O preço de um quilowatt hora de gás natural aumentará (...) de 7,87 cêntimos para 18,43 cêntimos a partir de 1 de outubro", disse a RheinEnergie, o primeiro grande fornecedor do setor a dar uma indicação detalhada do próximo aumento da taxa em comunicado.  

O aumento de 10,43 cêntimos representa um aumento aproximado de 2,3 vezes nos preços do gás para os 2,5 milhões de lares e empresas fornecidos pela RheinEnergie em Colónia. 

Por exemplo, numa casa de família com um consumo anual de 15.000 quilowatts/hora, os "novos custos anuais ascendem a cerca de 2.918 euros, em comparação com os 1.353 euros anteriores", disse a empresa. 

A RheinEnergie explica este aumento pelo "aumento de quase 450% nos custos de fornecimento de gás" ao longo de um ano. A invasão russa da Ucrânia fez disparar os preços do gás na Europa, atingindo duramente a Alemanha, que estava 55% dependente de Moscovo antes da guerra. 

Os preços já eram elevados antes do conflito, devido a um forte aumento da procura global de energia na sequência da recuperação económica pós-covid-19. 

Desde junho, o Kremlin reduziu as entregas de gás à Alemanha em 80%, acelerando ainda mais estes aumentos. Berlim descreveu esta decisão como "política", destinada a exercer pressão sobre o Ocidente no conflito ucraniano. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas