Escolha as suas informações

"A missão económica à Coreia foi um grande sucesso"
Economia 3 29.11.2022
Grão-Duque Herdeiro

"A missão económica à Coreia foi um grande sucesso"

Philippe Schmitz, diretor e CEO adjunto da Rotarex , Grão-Duque Herdeiro, Jean-Claude Schmitz, CEO da  Rotarex, Franz Fayot, ministro da Economia luxemburguês,  Michèle Schmitz-Gehrend, mulher de Jean-Claude Schmitz.
Grão-Duque Herdeiro

"A missão económica à Coreia foi um grande sucesso"

Philippe Schmitz, diretor e CEO adjunto da Rotarex , Grão-Duque Herdeiro, Jean-Claude Schmitz, CEO da Rotarex, Franz Fayot, ministro da Economia luxemburguês, Michèle Schmitz-Gehrend, mulher de Jean-Claude Schmitz.
Foto: SIP
Economia 3 29.11.2022
Grão-Duque Herdeiro

"A missão económica à Coreia foi um grande sucesso"

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Dois memorandos de entendimento e a inauguração de uma fábrica luxemburguesa marcaram estes três dias de missão luxemburguesa à Coreia do Sul.

O Grão–Duque Herdeiro, Guillaume, considerou a missão económica à Coreia do Sul "um grande sucesso". "A  inauguração da fábrica Rotarex [do setor metalúrgico], que representa a grande virtude de ter um ator luxemburguês desta dimensão com uma presença na Coreia" é apontada como um dos pontos altos da visita. A infraestrutura representa um investimento de 20 milhões de euros e terá cerca de 90 trabalhadores.

Esta visita de 72 horas foi também marcada pela "comemoração dos 60 anos das relações diplomáticas que celebrámos" entre Coreia do Sul e Grão-Ducado. Por outro lado permitiu ainda a "possibilidade de honrar os 85 veteranos luxemburgueses que foram voluntários nessa guerra terrível da Coreia", sublinhou o Grão-Duque Herdeiro, Guillaume no final da visita ao Memorial da Guerra da Coreia. Um edifício imponente onde a presença dos voluntários  luxemburgueses que participaram no conflito está marcada logo na entrada.

A delegação, onde estava também o ministro da Economia luxemburguês, Franz Fayoit, depositou uma coroa de flores no Memorial de Guerra para comemorar os soldadosm mortos e recordar os voluntários luxemburgueses que lutaram durante a Guerra da Coreia e arriscaram as suas vidas para lutar pela independência da República da Coreia.


Como o Luxemburgo ajudou na Guerra da Coreia
O Luxemburgo foi um dos 16 países do mundo a enviar soldados para ajudar na Guerra da Coreia. Um conflito que causou cerca de 2,5 milhões de mortos.

O Memorial de Guerra foi erguido em memória e honra dos combatentes e vítimas da Guerra da Coreia, entre 1950 e 1953. O Luxemburgo estava entre os 16 países que enviaram voluntários sob o comando das Nações Unidas para combater o exército norte-coreano. 

Ao todo 85 voluntários luxemburgueses lutaram ao lado das forças armadas da República da Coreia e pela independência do país. Entre eles, dois morreram nos combates e 17 foram feridos. Hoje em dia, sete destes veteranos ainda estão vivos. Esta foi a única intervenção militar luxemburguesa após 1945, na qual o Luxemburgo enviou soldados para a frente de combate.

(Enviada especial à Coreia do Sul)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas