Escolha as suas informações

2015 teve um excedente de 796 milhões de euros
Economia 26.09.2016 Do nosso arquivo online
Luxemburgo

2015 teve um excedente de 796 milhões de euros

14.7. IPO / PK Wohnungsbau und Klimabank / Pierre Gramegna Foto.Guy Jallay
Luxemburgo

2015 teve um excedente de 796 milhões de euros

14.7. IPO / PK Wohnungsbau und Klimabank / Pierre Gramegna Foto.Guy Jallay
Economia 26.09.2016 Do nosso arquivo online
Luxemburgo

2015 teve um excedente de 796 milhões de euros

As contas orçamentais do Luxemburgo foram melhores do que o esperado em 2015. O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Pierre Gramegna, que apresentou a Conta geral do Estado de 2015 perante a comissão de Finanças e Orçamento no Parlamento.

As contas orçamentais do Luxemburgo foram melhores do que o esperado em 2015. O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Pierre Gramegna, que apresentou a Conta geral do Estado de 2015 perante a comissão de Finanças e Orçamento no Parlamento.

A administração pública registou um excedente de 796 milhões de euros, o que equivale a 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB), sendo que o défice da administração central ficou abaixo do que era esperado, nos 176 milhões de euros, face a uma previsão inicial de 841 milhões de euros.

Esta melhoria significativa fica a dever-se, segundo o governante, a um melhor desempenho do que o esperado tanto do lado das receitas como das despesas.

De um lado, houve uma revisão em alta na ordem dos 30% nas receitas e de 70% em baixa no caso das despesas. Em concreto, as receitas ficaram 200 milhões de euros (ou 1,3%) acima do previsto e as despesas ficaram 465 milhões de euros (ou 2,9%) abaixo do estimado.

O nível dos investimentos em 2015 ficou acima do registado no ano precedente: 2,4 mil milhões de euros, face aos 2,1 mil milhões de euros de 2014.

O ministro realçou que, apesar da quebra das receitas do IVA devido às alterações fiscais no regime de comércio electrónico, a adminsitração pública conseguiu um excedente de 796 milhões de euros, sendo que o saldo da administração central aproxima-se progressivamente do equilíbrio.


Notícias relacionadas