Escolha as suas informações

2º trimestre: Custo da mão-de-obra no Luxemburgo sobe 4,5%
Os dois principais componentes dos custos de trabalho são os salários e outras despesas, como obrigações sociais a cargo do empregador

2º trimestre: Custo da mão-de-obra no Luxemburgo sobe 4,5%

Foto: Maurice Fick
Os dois principais componentes dos custos de trabalho são os salários e outras despesas, como obrigações sociais a cargo do empregador
Economia 16.09.2014

2º trimestre: Custo da mão-de-obra no Luxemburgo sobe 4,5%

O custo da mão-de-obra no Luxemburgo aumentou 4,5% no segundo trimestre, face ao mesmo período do ano passado, enquanto tanto na zona euro como no total da União Europeia estes custos subiram 1,2%.

O custo da mão-de-obra no Luxemburgo aumentou 4,5% no segundo trimestre, face ao mesmo período do ano passado, enquanto tanto na zona euro como no total da União Europeia estes custos subiram 1,2%. O custo da mão-de-obra no Grão-Ducado é um dos mais elevados da União Europeia, mas também um dos que mais cresce.

Segundo os dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat, o preço por hora da mão-de-obra cresceu na Europa entre Abril e Junho (1,2%) acima do registado no primeiro trimestre deste ano, quando subiu 0,6% nos 18 países da zona euro e 1,0% nos 28 Estados-membros da UE.

O Eurostat reviu ainda em alta os dados para o Luxemburgo relativos ao trimestre anterior, apontando que o custo da mão-de-obra aumentou 3,6% entre Janeiro e Março.

Quanto a Portugal, o custo da mão-de-obra aumentou 3.1% no segundo trimestre, em relação ao mesmo período de 2013, e caiu 1,4% entre Janeiro e Março.

O índice de custo da mão-de-obra é um indicador conjuntural da evolução dos custos horários suportados pelos empregadores e é calculado dividindo o custo da mão-de-obra pelo número de horas trabalhadas. Os dois principais componentes dos custos de trabalho são os salários e outras despesas, como obrigações sociais a cargo do empregador.

Fique a par das últimas notícias - inscreva-se na newsletter do contacto.lu  e receba diariamente as notícias na caixa de entrada do seu email.


Notícias relacionadas

Eurostat: Zona euro cresce ao ritmo mais elevado desde 2011
A economia da zona euro cresceu 2,1% no segundo trimestre do ano, face ao período homólogo. Os dados ficam em linha com o previsto pelos analistas. Este é o ritmo mais elevado desde 2011, de acordo com os dados do Eurostat, já que nos primeiros três meses daquele ano, a economia cresceu 2,9%.