Escolha as suas informações

Navio com cereais ucranianos sem comprador atraca na Turquia
Economia 10.08.2022
Guerra na Ucrânia

Navio com cereais ucranianos sem comprador atraca na Turquia

Guerra na Ucrânia

Navio com cereais ucranianos sem comprador atraca na Turquia

Foto: AFP
Economia 10.08.2022
Guerra na Ucrânia

Navio com cereais ucranianos sem comprador atraca na Turquia

Lusa
Lusa
"O navio 'Razoni' atracou na Turquia, o que significa que todos os problemas em torno deste navio de carga desapareceram", disse o embaixador da Ucrânia no Líbano.

O primeiro navio carregado de milho que deixou o porto ucraniano de Odessa, no Mar Negro, rumo ao Líbano, atracou no porto turco de Mersin e aguarda um comprador para a mercadoria, confirmou fonte diplomática da Ucrânia.

O embaixador da Ucrânia no Líbano, Ihor Ostash, confirmou a chegada do navio ao território turco, num ‘briefing’ no Centro de Comunicação Social de Kiev, capital da Ucrânia, informou hoje a agência de notícias local Ukrinform.

"O navio 'Razoni', que foi o primeiro a sair do porto de Odessa e se dirigia para o porto de Trípoli, no Líbano, atracou no porto de Mersin, na Turquia, o que significa que todos os problemas em torno deste navio de carga desapareceram", disse.

O navio, que suspendeu a atracagem no Líbano após ter falhado a venda da carga a um comerciante libanês, permanece agora nas costas sul da Turquia à espera de "instruções sobre o novo destino", segundo fonte diplomática citada pela agência espanhola EFE.


Vista aérea do cargueiro Razoni a caminho de Trípoli, no Líbano, ao longo do Estreito do Bósforo, a 3 de agosto de 2022,
Navio com cereais ucranianos ficou sem comprador
A mercadoria, levada pelo primeiro cargueiro a sair do país desde o início da guerra, foi rejeitada devido ao atraso de cinco meses na sua entrega.

Líbano recusou carregamento devido a atraso de cinco meses

Os cereais a bordo do ‘Razoni’ serão revendidos já depois de o barco estar em rota, uma prática comercial "comum", de acordo com a missão diplomática.

O navio partiu de Odessa a 01 de agosto, e o comprador libanês que estava previsto comprar as suas 26.000 toneladas de milho rejeitou o carregamento devido ao atraso na entrega, inicialmente previsto para há mais de cinco meses.

De acordo com a Embaixada ucraniana, o ‘Razoni’ ia deixar Odessa em 24 de fevereiro, dia em que a invasão russa do país começou, e por isso teve de suspender a sua viagem e o seu carregamento foi "fumigado e selado" para garantir a preservação da mercadoria.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas