Escolha as suas informações

Volta a França arranca sábado sem portugueses mas com Bob Jungels
Desporto 3 min. 05.07.2018 Do nosso arquivo online

Volta a França arranca sábado sem portugueses mas com Bob Jungels

Bob Jungels (Quick-Step Floors) é o único ciclista luxemburguês em prova.

Volta a França arranca sábado sem portugueses mas com Bob Jungels

Bob Jungels (Quick-Step Floors) é o único ciclista luxemburguês em prova.
Foto: Serge Waldbillig
Desporto 3 min. 05.07.2018 Do nosso arquivo online

Volta a França arranca sábado sem portugueses mas com Bob Jungels

A próxima edição da maior prova velocipédica do planeta inicia-se sábado. Acácio da Silva, antiga glória do ciclismo luso que chegou a liderar o ’Tour’ e venceu três etapas, falou ao Contacto sobre o difícil percurso e os principais candidatos à vitória.

A 105ª edição da Volta a França em bicicleta tem início no sábado, em Noirmoutier-en-l’Ile en Vendée, e terá uma extensão total de 3.329 quilómetros, uma das mais longas dos últimos anos.

Sem portugueses, mas com o luxembuguês Bob Jungels no pelotão, o percurso vai apresentar um traçado bastante montanhoso com tiradas longas e sinuosas, que vão favorecer os ciclistas agressivos com especial destaque para os ’trepadores’.

“Quem faz a Volta mais ou menos difícil são os ciclistas que marcam a cadência. O percurso é sempre muito parecido e as dificuldades similares”, diz Acácio da Silva, que disputou por seis vezes a Volta a França.

O transmontano que reside e despontou para o ciclismo no Luxemburgo entrou também para a história ao vestir a camisola amarela e ganhando três etapas do Tour, proeza que considera “algo de inesquecível.”

“O Tour é uma experiência única, mas dura e extensa”

“A Volta a França é uma experiência única que apenas os que a vivem podem apreciar. Mas é também uma prova muito dura e extensa”, explica o ex-ciclista de 57 anos que recentemente lançou um livro sobre a sua carreira.

“Sofre-se bastante em cima da bicicleta durante as etapas. A pressão é enorme, o calor, o andamento rápido e os perigos que surgem a cada curva são inimigos com os quais os ciclistas devem lutar no dia-a-dia. De qualquer forma, o Tour está apenas destinado aos melhores do mundo”, garante.

E é sobre os melhores ciclistas e principais candidatos à vitória que Acácio da Silva fala, destacando o britânico Christopher Froome (Sky), que a organização da Volta autorizou a participar depois de o tetracampeão do Tour ter sido ilibado na segunda-feira de suspeitas de doping.

“O Chris Froome é para mim o ciclista com maiores probabilidades de vencer, porque é muito completo. Mas há outros. Era importante esclarecer a situação sobre as suspeitas de doping porque a polémica instalou-se à volta da prova e isso é prejudicial ao espetáculo”, sublinha.

Froome procura alcançar a sua quinta vitória, feito que lhe permitiria igualar os franceses Jacques Anquetil e Bernard Hinault, o belga Eddy Merckx e o espanhol Miguel Indurain. Para Acácio da Silva não será fácil: “Nairo Quintana, Richie Porte, Vincenzo Nibali, Romain Bardet e Alejandro Valverde, entre outros, são adversário com muito valor e grande experiência. Por isso, a tarefa de Froome não vai ser fácil”, vinca Acácio da Silva, que não exclui “um vencedor que pode ser uma surpresa, alguém novo, de que ninguém esteja à espera”, vaticina, sem arriscar nomes.

Estabelecendo uma comparação entre as diferenças do ciclismo do seu tempo e o de agora, Acácio da Silva diz que agora é tudo melhor e mais fácil. “O material é mais leve e perfeito. E as épocas são mais bem programadas. Hoje os ciclistas estão dois meses sem competir e depois aparecem a grande nível”, precisou o antigo ’sprinter’.

Com um luxemburguês, mas sem portugueses

Nesta edição do Tour, destaque ainda para a ausência do português Rui Costa, que depois de oito presenças consecutivas vai estar ausente da prova pelo segundo ano consecutivo, devido a uma lesão.

Por seu turno, Bob Jungels vai ser o único ciclista luxemburguês em prova, como chefe de fila da Quick-Step. Segundo os responsáveis da equipa, o promissor corredor luxemburguês vai tentar terminar no ’top-10’ do Tour e eventualmente vencer uma ou outra etapa.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

As lições de Acácio da Silva, único ciclista português a vestir a camisola amarela no Tour de France, quando vê o primeiro dos seus compatriotas vencer a Volta ao Luxemburgo, país onde cresceu.
O britânico Chris Froome é o principal candidato ao triunfo na Volta a França em bicicleta, que vai cumprir a 105.ª edição, na qual busca uma quinta vitória, dias depois de ter sido ilibado da prática de doping.
Chris Froome.