Escolha as suas informações

Tiago Fernandes deixa o Racing Futsal
Desporto 5 min. 26.09.2019

Tiago Fernandes deixa o Racing Futsal

Tiago Fernandes deixou as funções de diretor desportivo da equipa da capital.

Tiago Fernandes deixa o Racing Futsal

Tiago Fernandes deixou as funções de diretor desportivo da equipa da capital.
Foto: Racing Futsal
Desporto 5 min. 26.09.2019

Tiago Fernandes deixa o Racing Futsal

Álvaro CRUZ
Álvaro CRUZ
O diretor desportivo da equipa da capital abdicou do cargo após cinco anos de atividade, mas garante que vai continuar a acompanhar a modalidade. Faz um balanço positivo do tempo em que desempenhou o cargo de dirigente, diz que fez amizades que vão ficar para a vida, mas afirma que chegou a hora de seguir o seu caminho e abraçar outros projetos.

"Saio do clube [Racing Luxembourg] com a plena consciência do dever cumprido e satisfeito por ter contribuido para o crescimento da modalidade que fez parte integrante da minha vida nos últimos anos", resume Tiago Fernandes após se ter demitido do cargo de diretor desportivo do atual bi-campeão luxemburguês de futsal.

"Esta decisão não foi fácil. Refleti e ponderei bastante antes de a anunciar aos jogadores, staff técnico e direção do clube. Existem ciclos na vida e 'timings' apropriados para tomarmos certas decisões e este pareceu-me o mais indicado. Atualmente, estou atrabalhar num hospital, como dermatologista, em Homburg, na Alemanha. Se a esse facto aliar a distância a que me encontro do Grão-Ducado, facilmente se depreende que o meu tempo é escasso para gerir uma equipa de topo.  Dei muito de mim e da minha vida privada em prol do futsal e dos clubes que representei, colocando muitas vezes os meus interesses pessoais e familiares em segundo plano. O meu empenhamento foi sempre total e por isso acho que chegou a hora de abraçar novos projetos e outros que deixei pendentes", reforça.

Com vários títulos conquistados nestes últimos anos - duas Taças do Luxemburgo, dois campeonatos da elite e um secundário - o jovem dirigente iniciou a sua atividade no CS Bettembourg na época 2014/2015. No clube, conquistou uma Taça do Luxemburgo, momento que o marcou para sempre. "Foi uma alegria imensa", recorda. "O futsal estava a dar os primeiros passos de forma oficial no país. Jogar perante um pavilhão completamente cheio e ganhar foi uma sensação especial. Nunca mais esquecerei esse dia", sublinha.

Um passo em frente na carreira 

Mas, apesar de os resultados terem sido bons, a ligação ao clube terminou no final da segunda época. "Foi pena", diz Tiago com alguma tristeza. "O projeto tinha pernas para andar, mas alguns dirigentes acharam que a equipa de futsal estava a ter muito protagonismo e fazer muita 'sombra' à do futebol de onze e a polémica instalou-se. A solução foi termos que deixar o clube e encontrar outro para continuarmos a jogar", precisa.

E foi então que o Racing Luxembourg apareceu. A capital não tinha nenhum representante no campeonato de futsal - que não parava de crescer - e os jogadores transferiram-se para o Racing. "Sentámo-nos à mesa e conseguimos um bom acordo para ambas as partes. Infelizmente, tivemos de começar na segunda divisão, mas valeu a pena. Os jogadores foram humildes e de uma dedicação incrível. Ganhamos vários títulos e solidificámos a nossa posição como equipa de topo no país, e também a nível internacional com duas participações na pré-eliminatória da Liga dos Campeões que marcaram a vida dos jogadores treinadores e dirigentes", recorda. 

Tiago Fernandes, à esquerda, no sorteio da pré-eliminatória da Liga dos Campeões, nas isntalações da UEFA, na Suíça.
Tiago Fernandes, à esquerda, no sorteio da pré-eliminatória da Liga dos Campeões, nas isntalações da UEFA, na Suíça.
Foto: Racing Futsal

7"Quando olho para trás e observo a evolução que o futsal sofreu nestes cinco anos, invade-me uma enorme  satisfação", congratula-se, mas afirma que "ainda há muito para fazer."

Trabalhar em conjunto para melhorar"

"Este último ano não foi muito positivo, tanto para o futsal, como para o futebol. Muitas confusões marcaram negativamente a temporada dentro e fora dos campos e que espero não se voltem a repetir", lamenta. "O campeonato luxemburguês pode ser um dos melhores da Europa num futuro próximo. A forte componente de jogadores e treinadores portugueses dá um toque especial à magia da modalidade, tornando-a muito apreciada. No entanto, é fundamental que todos puxem para o mesmo lado. Neste momento, há muita gente a criticar e pouca a trabalhar para melhorar as coisas", aponta.

"As redes sociais também são muitas vezes aproveitadas para se gerarem conflitos desnecessárioa que podem ser ultrapassados com diálogo e bom senso. É fundamental que todos os clubes trabalhem no mesmo sentido com a colaboração da Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF)", defende.  "A própria FLF está dividida. Há os que acreditam no futuro do futsal e os mais céticos, que apenas ouvem o que se diz e vêem esporadicamente um ou outro jogo. Temos de congregar esforços para avançar. Estava criada uma supertaça que acabou por não se disputar e cuja ideia foi aplicada no campeonato feminino de futebol de 11. Com todos a puxar para o mesmo lado, as coisas tornam-se mais fáceis", explica.

Sobre o balanço que faz dos vários anos como diretor desportivo, foi peremptório: "Positivo, muito positivo. Passei por altos e baixos, como é normal, mas vivi momentos inesqueciveis e fiz amizades que vão ficar para toda a vida. Conheci muita gente boa, e também alguns que dispenso, mas de uma forma geral considero que esta minha esperiência foi bastante enriquecedora em todos os aspetos", sublinha.

Tiago Fernandes é membro da comissão de futsal que é composta por cinco dirigentes de clubes diferentes, dois membros do Conselho de Administração da FLF e um secretário. Vai manter-se na comissão porque quer continuar ligado à modalidade e contribuir para levar a cabo vários dossiês que defente serem importantes para o desenvolvimento da modalidade. 

"As reuniões da comissão de futsal efetuam-se mais espaçadamente e a essas posso assistir. Existem dossiês importantes por resolver, como por exemplo a futura criação de uma seleção nacional luxemburguesa de futsal. Temos de olhar para os países vizinhos e ver o que se faz de bom. Temos um manancial de jogadores de qualidade que possuem qualidades para representar o Luxemburgo de forma exemplar em competições internacionais. Mas há muitas coisas para melhorar, como por exemplo as questões de disciplina, comunicação dos clubes e da própria FLF, melhores condições para a imprensa, entre outras coisas que por certo vão tornar cada vez melhor mais competitivo o nosso campeonato", defende. 

A falta de pavilhões é outra das preocupações do universo do futsal luxemburguês. O ex-diretor desportivo da Racing defende que é importante resolver o assunto e afirma que "se os pavilhões abundassem, teríamos, talvez, o dobro das equipas. Até mesmo algumas de escalões mais jovens para assegurar o futuro da modalidade. Para o futsal poder continuar a evoluir e atingir os patamares que todos desejamos, os clubes e a FLF têm que trabalhar em conjunto", remata.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

“Luxemburgo-Portugal vai ser um jogo muito especial”
O treinador do Fola e um dos mais internacionais pela seleção luxemburguesa antevê o jogo de apuramento para o Europeu 2020, fala sobre os trunfos da sua equipa na luta pelo título, deixa propostas para melhorar o nível do futebol interno e recupera as passagens pelo estrangeiro, sem esquecer o problema de saúde no Kaiserslautern.
Jeff Strasser defende que uma redução do número de equipas na Liga BGL aumentaria a competitividade da prova.
O passo em frente do futebol luxemburguês
Os recentes resultados da seleção nacional e dos principais clubes nas competições europeias proporcionaram outra visibilidade internacional ao futebol luxemburguês. O presidente da Federação e vários treinadores lusos analisam como a Liga das Nações pode também enquadrar-se nesse contexto.
O empate entre o Luxemburgo e a França foi um dos grandes resultados dos 'leões vermelhos'.
Stélvio Cruz: “Já olham para nós com mais respeito”
Antes do jogo desta tarde, relativo à segunda mão da Liga Europa frente ao Cluj, na Roménia, decisivo para a entrada na fase de grupos da competição, o médio do F91 Dudelange falou ao Contacto da importância do encontro e da vontade que todos no clube têm de fazer história no futebol luxemburguês. Aborda ainda as fases da sua carreira carreira e defende que o Luxemburgo é um país que dispõe de condições para ter um campeonato profissional.
O jogador do F91 Dudelange confia na passagem à fase de grupos da sua equipa.
Futsal: Portugueses reclamam mais apoio à federação
O futsal é a modalidade preferida dos portugueses no Luxemburgo, cujo campeonato é dominado por jogadores, treinadores e dirigentes lusos, sem esquecer o grande número de árbitros. A falta de apoio por parte da Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF), que tutela a competição, o nível da arbitragem e a falta de pavilhões geram críticas por parte dos responsáveis dos clubes que querem ver a competição continuar a crescer.
Tiago Fernandes na Comissão Futsal da FLF
O atual diretor desportivo da equipa de futsal do Racing Luxembourg, da Ligue2, é um dos novos rostos da Comissão de Futsal da Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF), de acordo com a instituição desportiva.