Escolha as suas informações

Taça das Confederaçôes: Portugal a uma vitória da final
André Silva quer fazer o gosto ao pé frente ao Chile

Taça das Confederaçôes: Portugal a uma vitória da final

Foto: AFP
André Silva quer fazer o gosto ao pé frente ao Chile
Desporto 4 min. 28.06.2017

Taça das Confederaçôes: Portugal a uma vitória da final

A seleção portuguesa de futebol defronta hoje o Chile em jogo das meias-finais da Taça das Confederações, em Kazan. Pepe e Raphaël Guerreiro são ausências de vulto entre os comandados de Fernando Santos, que querem conquistar o troféu pela primeira vez.

A seleção portuguesa de futebol defronta hoje o Chile em jogo das meias-finais da Taça das Confederações, em Kazan. Pepe e Raphaël Guerreiro são ausências de vulto entre os comandados de Fernando Santos, que querem conquistar o troféu pela primeira vez.

Por Álvaro Cruz (com agências)

Aseleção portuguesa de futebol procura esta quarta-feira, frente ao Chile, alcançar a primeira final da Taça das Confederações da sua história, num encontro em que Pepe e Raphaël Guerreiro vão ser baixas na formação lusa.

Na Rússia, o defesa central, que esteve em bom plano durante a fase de grupos, viu o segundo cartão amarelo na prova perante a Nova Zelândia (4-0) e vai falhar as meias-finais, na Arena Kazan.

No seu lugar deverá aparecer José Fonte, que foi utilizado na estreia com o México (2-2), mas que acabou por ficar de fora das opções do selecionador Fernando Santos nos restantes dois encontros do Grupo A.

Além de Pepe, Fernando Santos também não vai contar com Raphaël Guerreiro, que se lesionou na segunda jornada com a Rússia (1-0), enquanto Bernardo Silva está em dúvida, depois de ter saído tocado do jogo com a Nova Zelândia.

São esperados regressos na formação portuguesa, como Cédric Soares no lado direito da defesa e William Carvalho e André Gomes no meio-campo, que foram poupados no último jogo.

Com mais um dia de descanso, a seleção nacional vai entrar em campo com algum favoritismo do seu lado, ainda mais após os chilenos terem sofrido na última jornada do Grupo B para assegurar a passagem às “meias”.

Enquanto Portugal terminou o agrupamento com uma goleada sobre os neozelandeses, num jogo em que até deu para Cristiano Ronaldo ser substituído, os bicampeões sul-americanos estiveram a um golo da eliminação, mas acabaram por se salvar perante a Austrália (1-1).

Nos outros jogos, a formação liderada por Juan Antonio Pizzi, que nos seus tempos de jogador passou pelo FC Porto, venceu os Camarões, por 2-0, e empatou a uma bola com a Alemanha, que venceu o grupo.

Na frente de ataque, mesmo com algum cansaço acumulado nas pernas, Alexis Sánchez (fez os 90 minutos perante a Austrália) e Eduardo Varga (substituído aos 82) prometem dificultar a tarefa lusa, apoiados por Vidal, o dono do meio-campo chileno. Na baliza vai estar Claudio Bravo, outra das grandes figuras da equipa.

Já nesta competição, Alexis Sánchez fez história, ao tornar-se no melhor marcador de sempre da sua seleção, com 38 golos, mais um do que Marcelo Salas, que detinha o recorde. O avançado do Arsenal marcou à Alemanha na segunda jornada.

Pizzi contra Pizzi

O médio português da seleção portuguesa “Pizzi” (alcunha de Luís Miguel Afonso Fernandes) diz que Portugal vai defrontar uma das seleções favoritas à vitória na competição e classificou o Chile como uma equipa de “grande qualidade”. “O Chile tem excelentes jogadores, mas vamos estar preparados. Temos feito uma excelente Taça das Confederações e queremos dar continuidade a isso. Respeitamos ao máximo o nosso adversário, mas temos o objetivo de vencer e estar na final”, reforçou o jogador português.

O selecionador do Chile, Juan Antonio Pizzi, afirmou também que a sua equipa tem “argumentos” para garantir um lugar na final da Taça das Confederações e prometeu dificultar “muito” a vida a Portugal. “O nosso primeiro objetivo era chegar às meias-finais. Conseguimos. Sabemos que vamos ter um jogo muito difícil, mas posso garantir que Portugal também vai ter um jogo muito difícil. A nossa intenção é fazer tudo para estarmos na final. E, para isso, estamos muito bem preparados”, afirmou.

Juan Antonio Pizzi admitiu que Cristiano Ronaldo poderá ser determinante no jogo de hoje, mas negou que o avançado português vá ter qualquer tratamento especial por parte dos seus jogadores.

“Ronaldo é parte da equipa de Portugal e não a equipa de Portugal. Claro que teremos mais cuidado com ele, mas nada de especial. Vamos fazer o que habitualmente fazemos contra as outras equipas”, explicou.

Para o selecionador do Chile, a principal virtude da sua equipa é a “agressividade” que coloca nos jogos e a inteligência dos seus jogadores com a bola no pé.

“Queremos ter a posse de bola. Somos agressivos com bola e também sem bola. Sabemos criar problemas aos nossos adversários. Estou convencido que vamos fazer um grande jogo”, concluiu.

O Portugal-Chile da Taça das Confederações vai ser apenas o segundo jogo oficial entre as duas seleções. O primeiro e único jogo aconteceu a 27 de maio de 1928, em Amesterdão, nos Jogos Olímpicos. Na altura, Portugal, comandado por Cândido de Oliveira, venceu por 4-2.

O iraniano Alireza Faghani é o árbitro do jogo. Faghani, que arbitrou o seu primeiro jogo internacional em 2009, num Maldivas-Filipinas, vai estar pela primeira vez num jogo de Portugal, e a segunda do Chile, depois de ter apitado o encontro entre chilenos e alemães (1-1) também na Taça das Confederações.

O Portugal-Chile, que antes da competição arrancar era apontado com a provável final da prova, joga-se na Arena Kazan e começa às 21h locais (19h em Lisboa).

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas