Escolha as suas informações

Ronaldo sobre os direitos humanos no Qatar. "Deveriam ter pensado nisso antes"
Desporto 2 min. 18.11.2022
Mundial 2022

Ronaldo sobre os direitos humanos no Qatar. "Deveriam ter pensado nisso antes"

Mundial 2022

Ronaldo sobre os direitos humanos no Qatar. "Deveriam ter pensado nisso antes"

Foto: AFP
Desporto 2 min. 18.11.2022
Mundial 2022

Ronaldo sobre os direitos humanos no Qatar. "Deveriam ter pensado nisso antes"

Redação
Redação
Embora as autoridades do Qatar neguem, várias organizações apontam para milhares de mortes naquele país, entre 2010 e 2019, em trabalhos relacionados com o Mundial.

A polémica em torno da questão dos direitos humanos e das mortes de milhares de trabalhadores durante a construção das infraestruturas para o mundial do Qatar não passou despercebida a Cristiano Ronaldo.

"Falam de que não foi uma boa opção escolher o Qatar, mas deveriam ter pensado nisso antes", afirmou o jogador na polémica entrevista que deu esta semana ao jornalista inglês Piers Morgan. Para o capitão da seleção portuguesa agora é altura de pensar na competição. "Temos de nos focar no futebol e em dar as boas-vindas às pessoas que querem desfrutar deste Mundial 2022. Antevejo um bom torneio e acho que o Qatar está preparado. Sinto uma boa energia”, referiu.


Cristiano Ronaldo assume provável despedida da prova no Qatar
Na entrevista a Piers Morgan, o jogador disse que já não deverá disputar o mundial de 2026 e confessou que “terminaria a carreira” já se, no Qatar, a final fosse Portugal-Argentina.

Embora as autoridades do Qatar neguem, várias organizações apontam para milhares de mortes naquele país entre 2010 e 2019 em trabalhos relacionados com o Mundial, com um relatório do jornal britânico The Guardian, de fevereiro deste ano, a cifrar o valor em 6.500 óbitos, número que muitos consideram abaixo da realidade. 

Na quinta-feira, depois do jogo amigável da seleção, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, também aludiu à questão dos direitos humanos no país do Médio Oriente que acolhe a prova de futebol, num registo semelhante ao de Ronaldo. 

“O Qatar não respeita os direitos humanos. Toda a construção dos estádios e tal..., mas, enfim, esqueçamos isto. É criticável, mas concentremo-nos na equipa. Começámos muito bem e terminámos em cheio”, disse na zona de entrevistas rápidas no Estádio José Alvalade.

Hoje, o Presidente da República reiterou a sua defesa pelos direitos humanos e afirmou que voltará a falar sobre o assunto no Qatar se o parlamento autorizar a sua deslocação ao país, onde decorre o Mundial de futebol.


Marcelo Rebelo de Sousa, na comemoração do centenário do nascimento de José Saramago. Ontem foi assistir ao jogo da seleção nacional em Alvalade.
Marcelo: "O Qatar não respeita os direitos humanos. Mas, enfim, esqueçamos isto"
O presidente da República pede que os portugueses se concentrem agora na seleção nacional, em vez das polémicas que envolvem este Mundial.

“Estou convidado por fundações privadas, uma das quais a Aga Khan, para falar num tema sobre o futuro, a educação e o futuro das sociedades. É muito difícil falar do futuro das sociedades sem falar da democracia, dos direitos humanos e da liberdade”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em Fátima, no concelho de Ourém.

A 22.ª edição da prova realiza-se no Qatar, entre domingo e 18 de dezembro, em plena temporada 2022/23, com Portugal a encarar Gana (24 de novembro), Uruguai (dia 28) e Coreia do Sul (02 de dezembro), orientada pelo treinador luso Paulo Bento, no grupo H.   

* com Lusa



O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas