Escolha as suas informações

Ronaldo e o fascinante número sete
Desporto 5 min. 27.08.2020

Ronaldo e o fascinante número sete

Ronaldo e o fascinante número sete

Foto: AFP
Desporto 5 min. 27.08.2020

Ronaldo e o fascinante número sete

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar
E também o extraordinário agosto, mês de todas as estreias entre Sporting, Portugal, United, Real e Juventus.

Sete, o número 7. Começo a pensar e chego à conclusão, o 7 é o número da vida. A origem do calendário atual. A renovação celular do corpo humano (de 7 em 7 anos). Os 7 orifícios do corpo humano. A plenitude, a ordem perfeita. A medida reguladora da coesão universal: 7 planetas, 7 divindades, 7 metais, 7 notas musicais (com 7 escalas, 7 pausas e 7 valores), 7 cores do arco-íris, 7 dias da semana, 7 chakras, 7 pecados capitais (soberba, ira, inveja, luxúria, gula, avareza e preguiça) e 7 virtudes que lhe são contrapostas (fé, esperança, caridade, prudência, justiça, força e temperança).

O 7 é o símbolo da totalidade perfeita. O 7 é o número da conclusão cíclica e da renovação positiva, evocando todos os conjuntos perfeitos. O 7 é um número com uma simbologia bíblica muito forte, figurando 77 vezes no Antigo Testamento em momentos diversos: o candelabro judeu tem 7 braços (o símbolo sagrado do judaísmo é o memorá, com sete braços, indicando os 7 dias da semana); os 7 céus; Salomão construiu o templo em 7 anos; após a tomada de Jericó, 7 sacerdotes com 7 trombetas deveriam, no 7.º dia, dar 7 vezes a volta à cidade; Eliseu espirra 7 vezes e a criança ressuscitou; um doente mergulha 7 vezes no rio Jordão e sai curado; José sonha com a profecia das 7 vacas gordas e 7 vacas magras, e 7 anos de fartura e 7 anos de miséria se seguiram; 7 animais puros de cada espécie seriam salvos no dilúvio. No futebol, o 7 é divinal.

Qual o apelido de mais Bolas de Ouro de sempre? Ronaldo. Sim, leu bem, R-O-N-A-L-D-O (7). O brasileiro dos dentes salientes, o outro brasileiro com os dentes mais salientes ainda e o português. Foquemo-nos no Ronaldo português, c-a-m-p-e-ã-o (7) pela sétima vez na carreira – United (3), Real Madrid (2) e Juventus (2). O primeiro título aparece-lhe em 2007, 7.º ano do século. Campeão do quê? P-r-e-m-i-e-r. Treinado por quem? S-i-r A-l-e-x. E onde é que ele joga? Direita. E o que ele faz em campo? Dribles. E veste que número? 7. De quem? B-e-c-k-h-a-m, C-a-n-t-o-n-a e George Best, mais conhecido como T-h-e B-e-s-t. Quem é o seu melhor amigo no plantel? G-a-b-r-i-e-l (Heinze). A quem é que ele ganha o campeonato? C-h-e-l-s-e-a. Quem contribui para a festa antecipada? A-r-s-e-n-a-l (1-1 com Chelsea). Um dia depois, o United ganha ao City. Como é o golo de Ronaldo? P-e-n-á-l-t-i.

Muda-se para onde? E-s-p-a-n-h-a. E quem é quase invariavelmente o jogador que o vai abraçar primeiro em todos os golos? M-a-r-c-e-l-o. Quem é o seu companheiro de ataque? B-e-n-z-e-m-a. E quem é que lhe fez mais assistências para golo? D-i M-a-r-í-a. Segue-se Itália. Quem lhe faz mais assistências? M-a-t-u-i-d-i. E quem é o seu fiel companheiro de ataque? H-i-g-u-a-í-n. A Juve é campeã com quantas derrotas? Sete. Scary movie.

Calma, vamos mudar a agulha. Fazemos descansar o 7 e falamos do 8. O número de agosto, o mês de todas as estreias na vida de Ronaldo. O Sporting acontece a 14 Agosto 2002, vs Inter, em Alvalade, para a Liga dos Campeões. Antes, na pré-época, marca o primeiro golo oficioso, ao Betis. Quando toda a gente já espera o empate a dois, eis o 3:2 de Ronaldo, mais rápido que o guarda-redes Prats e com um remate seco ao ângulo superior esquerdo de ângulo apertado.

Nesse dia o Sporting apresenta Tiago, César Prates, Beto, Quiroga, Contreras, Ricardo Fernandes, Rui Bento, Barbosa, Quaresma, Toñito e Niculae. No final do particular, o treinador romeno Bölöni refreia os ânimos da imprensa, já pronta a coroar Ronaldo. “Acredito nele, porque tem talento. Mas se pensa que um campo de futebol é uma sala de ballet, ou se pensa que já é jogador de futebol, está a incorrer num erro enorme. Tudo farei para que não pense desta forma. Fala-se muito do Ronaldo. Basta, pois ainda só marcou um golo.”

Avançamos um ano, 16 Agosto 2003. O dia é de farra, em Old Trafford. Para nós, portugueses. No banco do United, está Ronaldo. No do Bolton, apresenta-se Jardel. Só um entra em campo. E ovacionado como the next big thing. Uns nós cegos depois, Ronaldo já é rei em Manchester. Quatro dias depois, Scolari lança-o na seleção portuguesa, em Chaves, durante um particular com o Cazaquistão – entra ao intervalo para o lugar de Rui Costa.

É preciso viajar até 2009, dia 29 Agosto. Arranque da Liga espanhola, no Bernabéu. O Deportivo apresenta todos os seus argumentos. Em vão. Um penálti de Ronaldo derruba as esperanças dos galegos. Pormenor interessante: antes da marcação do livre de 11 metros, o capitão Raúl entrega a responsabilidade ao português como quem diz ‘a partir de agora, é contigo’. Ronaldo aceita o desafio, marca, festeja e vive nove anos plenos de felicidade em Madrid, não fosse o de sempre. Florentino Pérez, o presidente armado em treinador, afugenta Ronaldo como já o fizera com outro 7. Se Figo assina pelo Inter, já Ronaldo é mais Juventus.

A estreia é vs Chievo, a 18 Agosto 2018. Agosto, sempre Agosto. E a mudança de ares faz-lhe bem, como sempre. Em dois anos, dois títulos de campeão mais uma Supertaça italiana resolvida por si, vs Milan, em Riade (Arábia Saudita), no estádio onde Portugal se sagra campeão mundial sub20 pela primeira vez. Quem é o nosso treinador? Q-u-e-i-r-o-z. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas