Escolha as suas informações

Ricardo Araújo Pereira recorda o dia em que deu boleia a Eusébio

Ricardo Araújo Pereira recorda o dia em que deu boleia a Eusébio

Desporto 15.01.2014

Ricardo Araújo Pereira recorda o dia em que deu boleia a Eusébio

O humorista e assumido benfiquista Ricardo Araújo Pereira contou no domingo que certo dia pediu ao pai para dar boleia a Eusébio, que estava na Estrada de Benfica a tentar apanhar um táxi para o aeroporto da Portela.

"Tinha eu para aí uns 17 anos. Ia no carro do meu pai, quando vi o Eusébio a mandar para um táxi na Estrada de Benfica. Eu sabia que o Benfica ia fazer um estágio à Suécia e, então, tive de convencer o meu pai a dar boleia ao Eusébio e convencer o Eusébio a entrar no carro, que eu não era um maluco”, revelou Ricardo Araújo Pereira.

O humorista revelou, ainda, que anos mais tarde comprou o carro ao pai, quando "teve dinheiro para isso”, e que "colocou a cadeira da filha no lugar onde Eusébio se tinha sentado” e que continuou a andar no carro "até ele parar”.

O seu projecto actual era "convencer o Eusébio a entrar no carro que tem agora”, mas que “já não foi a tempo”, e conta outro episódio na sequência do nascimento da sua filha.

"Quando ela nasceu, enviei mensagens aos amigos benfiquistas a dizer que passáramos a ser seis milhões... mais um. A minha vida é melhor por causa do Benfica e o Benfica é melhor por causa do Eusébio, logo a minha vida é muito melhor por causa do Eusébio”, disse Ricardo Araújo Pereira, para quem "71 anos é demasiado cedo, sobretudo para uma divindade”.

O conhecido humorista lembrou, ainda, uma viagem a Liverpool, depois do Benfica ter goleado o Everton por 5-0: "O estádio era feio, escuro, o tempo estava horrível, e, a certa altura, o 'speaker’ anunciou que o Eusébio vinha ao centro do terreno".

"Aqueles ingleses todos desataram a aplaudir de pé o Eusébio, foi a única alegria que tiveram naquela noite em que 'levaram' mais dois golos do Benfica. Fiquei magoado. O Eusébio era nosso, aqueles ingleses não tinham nada de o aplaudir, mas depois vi que o tinha de partilhar porque ele é maior do que as fronteiras".   

Publicado no CONTACTO, a 8 de Janeiro de 2014.