Escolha as suas informações

Racing arranca com goleada no campeonato feminino de futebol
Desporto 4 min. 19.09.2018

Racing arranca com goleada no campeonato feminino de futebol

Tiago Pereira, treinador do Racing, diz que a sua equipa ambiciona chegar à final da taça e terminar nos 5 primeiros classificados no campeonato.

Racing arranca com goleada no campeonato feminino de futebol

Tiago Pereira, treinador do Racing, diz que a sua equipa ambiciona chegar à final da taça e terminar nos 5 primeiros classificados no campeonato.
Foto: Albert Krier
Desporto 4 min. 19.09.2018

Racing arranca com goleada no campeonato feminino de futebol

O arranque da Primeira Liga do campeonato feminino luxemburguês de futebol ficou marcado pela goleada do Racing ao Larochette e pela derrota do campeão Junglinster em Mamer, por 2-0. Esta época, a luta pelo título vai ser alargada a um lote de quatro ou cinco equipas e promete maior equilíbrio.

“Esta época o campeonato vai ser muito mais difícil e equilibrado para todos. O título vai ser disputado por várias equipas, ao contrário das épocas anteriores, nas quais Junglinster e Bettembourg se assumiam como as principais candidatas”. Quem o afirma é Daniel Nunes, treinador do SC Bettembourg, equipa que no sábado iníciou o campeonato com uma vitória por 2-0 no terreno do Wincrange.

“Progrès Niederkorn, Racing Luxembourg e Itzig/CeBra são equipas que se reforçaram com jogadoras de qualidade como já ficou provado nesta primeira jornada. O equilíbrio será a nota dominante na maior parte dos jogos e a competitividade do campeonato vai aumentar substancialmente, o que acaba por ser muito benéfico para a evolução do futebol feminino luxemburguês”, garante o jovem treinador lusodescendente.

Daniel Nunes, treinador do SC Bettembourg, diz que esta época o título vai ser mais disputado que os anteriores.
Daniel Nunes, treinador do SC Bettembourg, diz que esta época o título vai ser mais disputado que os anteriores.
Foto: Nicolas Bouvy

Apontado pelos adversários como o principal candidato ao título esta época, Daniel não esconde as ambições da sua equipa em reconquistar o título alcançado há dois anos, mas que lhe fugiu na época passada: “Estou contente com a qualidade evidenciada pelas nossas novas jogadoras e pela forma como se integraram. Era importante reforçar a competitividade no grupo e também melhorar as mentalidades. Agora, todas sabem que, para ganhar um lugar na equipa, é preciso dar tudo, não só nos jogos, mas também nos treinos”.

E deu o exemplo do arranque do campeonato: “Este primeiro jogo, frente a uma equipa que na última época estava na segunda divisão, já foi elucidativo das dificuldades que vamos ter. Com o objetivo de conquistar o título temos de nos preparar bem para enfrentar todos os adversários, a começar pelos mais difíceis, como no próximo sábado, em Niederkorn”, avisa.

“Voltar a jogar na Liga dos Campeões feminina é a nossa grande prioridade. Temos de assumir os nossos objetivos que passam pela reconquista do título”, vinca Daniel Nunes, que sonha um dia poder treinar uma equipa masculina. “Sinto-me muito bem em Bettembourg que é o meu clube do coração e onde sou muito bem tratado. No entanto, se um dia surgir a oportunidade de treinar uma equipa do campeonato masculino, gostava de experimentar, porque sou ambicioso e quero abraçar novos desafios”, confessa o treinador de 30 anos.

Racing Luxembourg sonha com o título a médio prazo

A maior goleada da primeira jornada foi protagonizada pelo Racing Luxembourg, uma das equipas que se reforçaram melhor. As jogadoras da capital deslocaram-se ao terreno do recém-promovido Lusitanos de Larochette e venceram por 14-0. Um triunfo que o treinador Tiago Pereira desvalorizou, considerando “um jogo fácil, frente a um adversário frágil e inexperiente”. E resumiu: “Impusemos o nosso modelo de jogo, conseguindo uma vitória volumosa”.

“É importante começar a ganhar e de preferência por muitos golos, mas este jogo não pode constituir uma referência para nós. É frente a adversários fortes e competitivos que podemos aferir as nossas reais competências. Só no final do primeiro terço do campeonato poderemos fazer um balanço das nossas qualidades”, vincou.

A equipa é apontada por muitos como uma das formações capazes de se intrometer na luta pelo título, algo que o treinador português fez questão de negar: “Na época passada evitámos a despromoção já no final do campeonato e este ano conseguimos reforços de grande qualidade, mas daí a disputarmos o título vai uma grande diferença. Recrutámos jogadoras importantes como Andreia Machado, Elodie Martins, que vem de Metz, e Mamy N’Diaye, jogadora senegalesa que capitaneou a seleção do seu país durante vários anos, mas esta época vai ser um período importante de transição. Talves dentro de dois anos já estejamos preparados para discutir o título com as principais equipas do país. Se esta época terminarmos o campeonato entre os cinco primeiros classificados e conseguirmos atingir a final da Taça do Luxemburgo, já posso considerar-me muito satisfeito”, conclui o técnico luso.

Andreia Machado troca Niederkorn pelo Racing

Andreia Machado, à direita, já com a camisola do Racing, marcou dois golos no primeiro jogo do campeonato ao serviço da equipa da capital.
Andreia Machado, à direita, já com a camisola do Racing, marcou dois golos no primeiro jogo do campeonato ao serviço da equipa da capital.
Foto: Racing Luxembourg

Eleita a melhor jogadora do campeonato em 2016, Andreia Machado é um dos principais valores do futebol feminino luxemburguês da atualidade. A lusodescendente foi um dos reforços da formação da capital e explica ao Contacto porque deixou o Progrès Niederkorn: “A principal razão da minha escolha foi o aliciante projeto que o Racing me propôs. A reestruturação da equipa, a melhoria das condições de trabalho e os objetivos para os próximos anos são muito ambiciosos”, explica a jogadora que já obteve dois golos no primeiro jogo do campeonato, no último sábado, frente ao Larochette.

Andreia, que também já envergou a camisola da seleção luxemburguesa por diversas vezes, mostra-se entusiasmada com a nova equipa, mas aponta o SC Bettembourg e o Niederkorn como principais candidatos ao título: “Apesar de termos grande potencial, não acredito que possamos já fazer frente a equipas como o Bettembourg, que se reforçou bem, e ao Niederkorn que manteve a espinha dorsal da equipa. Até o Junglisnter, que perdeu o primeiro jogo, tem uma estrutura sólida, ao passo que o Racing é ainda uma equipa em formação e tem muitos aspetos para melhorar”. De qualquer forma, a atleta manifesta confiança no projeto. “Acredito no trabalho do treinador e na qualidade das jogadoras. Se continuarmos a trabalhar bem nos dois próximos anos poderemos criar bases sólidas para depois lutar pelo título”, remata.

Á. Cruz


Notícias relacionadas

Campeão nacional de futsal pode ser conhecido este domingo
O Racing FC Union Luxembourg poderá sagrar-se este domingo campeão nacional de futsal 2017/18, caso vença o segundo jogo da final do campeonato frente à Amicale Clervaux, no Hall Sportif de Reuler. Contudo, a Amicale garante que ainda tem uma palavra a dizer na disputa pelo título.
A final de 2017/8 vai colocar frente a frente os dois melhores marcadores do campeonato: Carlos Soares (Racing) e Norberto "Guri" Ferreira (Clervaux).