Escolha as suas informações

Portugal 1:2 Sérvia. Do you feel lucky, punk?
Desporto 4 min. 15.11.2021
Mundial2022

Portugal 1:2 Sérvia. Do you feel lucky, punk?

Mundial2022

Portugal 1:2 Sérvia. Do you feel lucky, punk?

Foto: Lusa
Desporto 4 min. 15.11.2021
Mundial2022

Portugal 1:2 Sérvia. Do you feel lucky, punk?

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar
Pobre mais pobre não há: Portugal acaba o jogo com três centrais, dois trincos e é desviado para o play-off do Mundial-2022 por uma valente Sérvia com um golo ao cair do pano.

Quanta incompetência, senhoras e senhores. Antes, muito antes do jogo decisivo, Santos fala assim a respeito do 0:0 em Dublin. ‘Em termos de classificação, ganhar 5:0 ou empatar era a mesma coisa. É claro que preferia ganhar 5:0, mas o resultado é positivo e a equipa da Sérvia tem de jogar no nosso estádio para ganhar o jogo.’ Pois, a Sérvia tem de ganhar e vai fazer por isso. E Portugal, vai ganhar 5:0? Ou empatar? Ou…?

Quanta incompetência, senhoras e senhores. Com o apuramento directo rumo ao Mundial-2022 à mercê de um empate, a jogar em casa, empurrado por um Estádio da Luz cheio e em vantagem desde o minuto 2, obra de Renato Sanches, a selecção portuguesa consegue a proeza de perder 2:1 ao cair do pano e ser afastada para o play-off. O onze de Santos diz tudo, muita cautela e pouca criatividade. Já cometera erros de palmatória na elaboração da equipa em Dublin, no embaraçoso nulo vs Irlanda, agora mais do mesmo. O meio-campo reúne Danilo, Moutinho e Renato. Baaaah. No banco, Bruno Fernandes mais João Félix. Duplo baaaah. O jogo até começa bem, com o tal golo de Renato – o seu terceiro na Luz, após aqueles pelo Benfica (vs Académica 2015) e Bayern (vs Benfica 2018). O mérito é de Bernardo Silva, roubo de bola a Gudelj perto da área sérvia e toma lá disto. Renato ajeita, avança e atira sem defesa para Rajkovic, pobre coitado, completamente atarantado com um lance caído do céu.

Quanta incompetência, senhoras e senhores. Portugal está a ganhar, sem saber como. E agora? Nada. Zero ideias, zero fluidez, zero tudo. A Sérvia, já empertigada por natureza, cresce e dá trabalho. Vlahovic recebe a bola aos 12’, faz a rotação em meio segundo e atira de pronto. A bola embate no poste, com Patrício batido. Portugal recebe o aviso. E agora? Nada. Zero ideias, zero fluidez, zero tudo. Na defesa é um ver-se-te-avias com bolas despachadas para a frente, sem critério. Se não há critério, o meio-campo está a apanha bonés e o ataque nem existe.

Quanta competência, senhoras e senhores. A Sérvia sente-se cómoda e ataca pelos flancos. Pelo esquerdo, Cancelo vê amarelo aos 8’. Pelo direito, Nuno Mendes é um lateral sem dimensão pelos passes tortos. De vez em quando, a Sérvia ataca pelo meio. Quando o faz, 1:1. O capitão Tadic recebe à entrada da área, ludibria Moutinho com uma finta de cintura e atira à figura. Patrício deita-se e dá um frango. Como o caso de Renato Sanches, é o terceiro golo de Tadic na Luz: dois pela Sérvia, um pelo Ajax.

Quanta incompetência, senhoras e senhores. Até ao intervalo, Portugal não se reinventa, não cresce, não nada. Simplesmente anda para ali, num filme minimal-repetitivo. A Sérvia ainda tem um golo (bem) anulado ao irreverente Vlahovic e uma bola nas redes laterais, por Kostic. No balanço dos 45 minutos, a Sérvia faz mais remates (8-5) e domina a posse de bola (58%). É o fungagá da bicharada, Portugal simplesmente não está a jogar. Falávamos do estilo minimal-repetitivo. Pois bem, Portugal continua igual, sem fio de jogo nem iniciativa de ataque. Sai Bernardo, o único elemento português com mais cabeça (e pés) em campo – já acontecera nos quatro jogos do Euro-2020, Bernardo é sempre o primeiro substituído. O outro a sair é Moutinho. Entra quem? Palhinha. Não pode, surreal. João Félix continua sentado.


As melhores imagens do Portugal-Sérvia
A inédita derrota de Portugal com a Sérvia por 2-1 fez cair a seleção das 'quinas' para os play-offs de apuramento para o Mundial2022.

Quanta incompetência, senhoras e senhores. Aproximamo-nos do fim, Portugal continua satisfeito com o empate e nada de incomodar Rajkovic nem os centrais. Há muita bola para a frente, sem direcção assistida. A Sérvia sente-se cómoda e arrisca mais pelo lado direito, o de Nuno Mendes. Ganha um canto. Dois. Ao terceiro, puuuuum. Canto curto para Tadic. O capitão prepara a bola e faz um cruzamento perfeito para o segundo poste, onde aparece o suplente Mitrovic a cabecear com vontade. A bola entra junto ao poste, Patrício está feito em pedaços. Fonte idem idem. Ronaldo aspas aspas. As imagens do desespero contrastam com as de alegria infinita dos sérvios, deitados uns em cima dos outros, perto da bandeirola de canto – que, a propósito, parte-se com tanta algazarra.

Quanta competência, senhoras e senhores. A Sérvia perde pontos em casa vs Portugal e em Dublin. Na hora do tudo ou nada, vê-se a perder aos dois minutos e dá a volta ao jogo com pinta, muita pinta. Dragan Stojkovic acaba o jogo com três pontas-de-lança mais Tadic. Já Santos, três centrais e dois trincos. Quanta incompetência, senhoras e senhores. Até quando? O play-off é em Março 2022, jogos em campo neutro, não há cá ida e volta. Ou seja, não dá para empatar. É preciso mesmo ganhar.

Sob o apito do italiano Orsato, eis os actores principais e secundários:

Portugal: Patrício; Cancelo, Rúben Dias, José Fonte e Nuno Mendes; Danilo (André Silva 90+2), Moutinho (Palhinha 64) e Renato (Rúben Neves 83), Bernardo (Bruno Fernandes 64), Ronaldo (cap) e Jota (João Félix 83), Seleccionador Fernando Santos (português);

Sérvia: Rajkovic; Pavlovic, Milenkovic e Veljkovic (Spajic 65); Gudelj (Mitrovic 46); Milinkovic-Savic, Lukic, Zivkovic (Radonjic 69) e Kostic (Jovic 89); Tadic (cap) e Vlahovic

Marcadores: 1:0 Renato Sanches (2); 1:1 Tadic (33); 1:2 Mitrovic (90)

(Autor escreve de acordo com o antigo Acordo Ortográfico)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O selecionador Fernando Santos antecipou hoje a renovação do 'onze' no particular de sábado com o Qatar, de forma a deixar a equipa mais fresca para a deslocação de terça-feira ao Azerbaijão, na qualificação para o Mundial2022 de futebol.