Escolha as suas informações

Pjanic, o amigo de Cristiano Ronaldo que despontou para o futebol no Luxemburgo
Desporto 8 2 min. 13.03.2019

Pjanic, o amigo de Cristiano Ronaldo que despontou para o futebol no Luxemburgo

Miralem Pjanic nas costas de Cristiano Ronaldona celebração de um dos golos do internacional português na vitória de ontem frente ao Atlético de Madrid.

Pjanic, o amigo de Cristiano Ronaldo que despontou para o futebol no Luxemburgo

Miralem Pjanic nas costas de Cristiano Ronaldona celebração de um dos golos do internacional português na vitória de ontem frente ao Atlético de Madrid.
Foto: AFP
Desporto 8 2 min. 13.03.2019

Pjanic, o amigo de Cristiano Ronaldo que despontou para o futebol no Luxemburgo

Álvaro Cruz
Álvaro Cruz
Tinha dez anos quando chegou ao Grão-Ducado com a família que tinha deixado a ex-Jugoslávia e foi em Schifflange que fixou residência, em 2000. Cresceu, deu nas vistas, saiu do Luxemburgo e tornou-se um dos melhores jogadores mundiais da atualidade.

Tive o privilégio de ter sido uma das primeiras pessoas a conhecer o pequeno Pjanic porque no meu último ano de jogador fui companheiro do seu pai, Fahrudin, que naquela temporada veio reforçar o FC Schifflange que militava na elite do futebol luxemburguês.

Miré, como lhe chamava carinhosamente o pai, ex-profissional do FK Drina Zvornik, já era um apaixonado pela bola. Nunca falhava um treino dos seniores do Schifflange. Chegava pela mão do pai, por volta das 18h30, e aproveitava os escassos minutos de que dispunha até começar o treino para fazer com a bola aquilo que a maioria dos meninos da sua idade não eram capazes de fazer. "Este até dorme com a bola", dizia o pai, e eu e alguns dos meus colegas admirávamos as já inatas qualidades do craque de palmo e meio que fazia maravilhas com a 'redondinha’. Algumas vezes disse para comigo: "este puto vai ser craque", e não me enganei.

Aos domingos de manhã jogava pelos ‘poussins’, categoria equivalente às escolinhas em Portugal, e já dava nas vistas com fintas, dribles e golos para todos os gostos. Era notório que o pequeno 'Miré' estava destinado a ser craque, e dos grandes.

A qualidade do jovem prodígio era tão evidente que aos 12 anos foi chamado a prestar provas no Centro de Formação da Federação Luxemburguesa de Futebol. Esteve lá três ou quatro anos e deu nas vistas de leão vermelho ao peito. Já pretendido por alguns dos maiores clubes europeus, optou por rumar à academia do FC Metz, em França, onde depois de terminar a formação ascendeu à equipa principal dos 'grenats' e brilhou na elite do campeonato vizinho, com 18 anos apenas.

E foi então que entre a nacionalidade luxemburguesa, francesa e bósnia escolheu a última, a do país em que nasceu, para poder representar a seleção nacional.

A classe e ambição catapultaram-no, depois, para o Lyon, na altura crónico campeão de França, e as suas prestações de qualidade nas competições europeias fizeram dele um dos médios mais disputados em toda a Europa. Do Lyon, foi para a Roma, mas esteve com um pé no Barcelona. No exigente campeonato transalpino foi eleito um dos melhores jogadores, despertando o interesse da Juventus, tendo-se depois mudado para Turin, onde é um dos incontornáveis titulares da formação que venceu os últimos sete campeonatos italianos.

Já ganhou dois campeonatos pela 'vecchia signora' e este ano é companheiro de Cristiano Ronaldo de quem se tornou amigo. Mas Miralem Pjanic é craque dentro e fora do campo. Desde que deixou o Luxemburgo, volta regularmente para ver os amigos com quem cresceu e jogou. Convida, por vezes, esses amigos de infância a irem ver os seus jogos nos clubes onde tem brilhado e prima, sempre, por uma discrição, apenas ao alcance dos verdadeiros grandes jogadores.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas